Onde os bichos se encontram

O Animal Kingdom foi o último parque do complexo Disney de Orlando  a ser inaugurado.  A ideia era criar um ambiente onde os visitantes pudessem se sentir na natureza, visitando continentes famosos por sua fauna e flora ( Africa e Asia), além de encontrar os personagens Disney mais famosos do reino animal. O parque tem uma área imensa para abrigar  mais de 1.700 animais, incluindo mais de 250 espécies diferentes.

Eu adoro este parque. Ele tem áreas muito bonitas cercadas por plantas e lagos ( na verdade é um rio, o Discovery River), o que torna o passeio bem agradável e tranquilo. Os pequenos vão adorar a possibilidade de ver tantos animais diferentes. Logo na entrada ( Oasis),  eles colocaram uma serie de viveiros com repteis, pássaros e animais de pequeno porte que já dão uma ideia do que está por vir.  

Se você pretende fazer uso do fast pass ( como falei nos posts anteriores), siga diretamente para a Africa. O Kilimanjaro Safaris é uma das atrações mais concorridas. Trata-se de um safari em grandes jipes, onde você poderá ver animais existentes nas savanas Africanas. Elefantes, leões, antílopes, jacarés, rinocerontes, girafas, búfalos, etc, etc. As filas são enormes. 

Ao sair dos carros, você pode seguir uma trilha chamada Pangani Forest Exploration onde é possível observar famílias de gorilas, pássaros e hipopótamos através de um vidro. Se desejar fazer um caminha mais curto, saia diretamente para a vila Africana montada no lado de fora da atração, onde você terá pequenos bares, lojas e restaurantes. O Tusker House Restaurant  é uma das boas opções do parque para um almoço farto e com calma. É preciso fazer reserva.  

Os apaixonados por aventura e também por estes animais podem fazer o Wild Africa Trek. Por um preço extra, um grupo restrito de visitantes pode ter a experiência de fazer uma trilha pela área reservada para o safari e chegar bem perto de determinados animais, acompanhado de guias e biólogos que dão explicações. Como os grupos são pequenos, é necessário fazer reserva com antecedência. Vejas as informações no site.

Passando para a Ásia, aqui temos uma das melhores atrações do parque,  onde eu recomendo você tirar o Fast Pass para economizar tempo de fila.  Estou falando da montanha russa Expedition Everest, mais conhecida pelos íntimos como montanha do Yeti. Para chegar até o carrinho da montanha russa, você passa por uma vila do Nepal, rica em detalhes e referências ao abominável homem das neves. O brinquedo simula uma expedição de trem pelo Monte Everest, onde em determinados momento os passageiros são atacados pela criatura que destruiu os trilhos e…É muito divertido e radical. Crianças a partir de 112 cm já podem aproveitar.

Ali bem perto tem outra atração radical para quem gosta de se molhar muito! O Kali River Rapids é uma daquelas grandes boias , onde a brincadeira e descer a corredeira de um rio com cachoeiras e água por todo o lado. Você pode usar até uma capa de chuva, mas sairá molhado mesmo assim. Menos molhado, mas molhado em alguma parte do corpo.  Uma dica preciosa, se você quer entrar na brincadeira, tire pelo menos os sapatos, por que ninguém merece ficar andando com sapatos e pés molhados, concorda?

Nesta parte do parque, vale ainda passar pela trilha  Maharajah Jungle. Aqui estão belos animais originários das florestas asiáticas, como morcegos enormes e tigres majestosos.  SE você gosta de cozinha asiática, o restaurante Yak & Yeti  é a opção para um almoço variado. É necessário fazer reserva.

Os pequenos vão gostar de visitar também  o Rafiki’s Planet Watch. Para se chegar a esta mini fazenda é preciso tomar um trem que já é uma atração à parte. Trata-se de um lugar para as crianças interagirem com animais  domésticos e de fazenda, como bodes, cabras, vacas, coelhos, pôneis, etc. a grande atração é o Afection Section, dedicados aos filhotes mais fofos do mundo. Esta área do parque é muito interessante e educativa  para as crianças menores. Confesso que nesta minha viagem recente, nem passamos por lá. Mas, quando estivemos no parque da outra vez que a Clarice era mais nova, ela gostou muito.

A parte Central  do Parque fica em uma ilha situada no grande rio que atravessa o parque, a Discovery Island.  Aqui está o símbolo do Animal Kingdom , a árvore da vida, um grande baobá artificial, que tem o tronco todo esculpido com figuras de animais. Belíssimo! Em volta desta árvore existe uma trilha onde você poderá observar tartarugas de galápagos, lêmures, aves raras entre outros bichos. Mas é abaixo da árvore que está um dos melhores filmes 3-D de todos os parques. Sim,  o filme é passado em um teatro situado nas raízes da árvore, afinal os anfitriões são os personagens do filme da Pixar “Vida de Inseto”. É genial, não vou contar mais para não estragar a surpresa, mas a formiga Flick nos convida para uma apresentação onde saberemos como é difícil ser um inseto. Imperdível!

Os dinossauros são a atração principal na Dinoland, mas antes de chegar lá, você vai passar por um teatro onde é encenada em alguns horários o musical Procurando Nemo. Não se assuste com a fila. O teatro é grande e cabem todos. Fique só atento aos horários para não perder o show, que é muito bonito.  

No Dinoland não deixe de ir  na atração Dinosaur ( vale usar o fast pass). Trata-se de uma emocionante aventura, onde você entra em uma máquina do tempo para  encontrar Dinossauros em seu habitat natural. Mas, prepara o coração, pois alguns sustos podem pegar os menores mais desprevenidos.  

As demais atrações desta área são para os pequenos, mas os não tão pequenos assim se divertem muito. A minha filha e amiguinha foram mais de três vezes seguidas na montanha russa Primeval Whril sozinhas. Até por que nenhum adulto tem estômago (literalmente) para ficar tantas vezes rodando em um carrinho sem parar. mas, o que eu acho muto divertido é o The Boneyard, que é um parque de areia gigante, onde as crianças podem pegar baldes e pincéis como se fossem arqeuólogos e começar a procurar ossos de dinossauros enterrados. E não é que elas encontram?

Para um almoço rápido, o Restaurantosaurus é uma boa opção. Hamburgeres, sanduíches e saladas feitos na hora acompanhandos de batas fritas decliciosas.

Nosso dia no Anamal Kingdom foi encerrado com uma passada no camp Minnie- Mickey para assistirmos o festival do Rei Leão. O show tem música , dança a atrações circences com o pano de fundo da história do pequeno leão. O melhor é a música composta por Sir Elton John e cantada por maravilhosos cantores ao vivo. Saio de lá cantarolando hakuna matata!!!!!  Ao sairmos do show, aproveitamos para tirar as famosas fotos com os personagens clássicos da Disney. Nesta parte do parque são quatro pontos de aparição de personagens para  foto e, adivinha quem estava lá? Mickey, Minnie e Cia. Todos com roupas de safari, é claro.

Este é o parque que fecha mais cedo e também não tem show de fogos no final, para não estressar os animais. Por isso, você vai sair em um horário perfeito para fazer um belo jantar com calma. Já que estávamos por perto, resolvemos conhecer um dos restaurantes do Animal Kingdom Lodge, hotel temático  que fica próximo ao parque. São várias opções para todos os bolsos. Optamos pelo Buma Flavors of Africa, buffet de comida africana, onde você vai encontrar até feijão preto. Os pratos são deliciosos e variados. Tem opções de menu infantil, mas o que eu achei melhor, foi que tinha muitas variedades de legumes, frutas e grelhados que acabam agradando a todos. A estação de sobremesas é um capítulo a parte. Não passe incognito por ela. O salão é grande, mas é  bom reservar. Neste dia, resolvemos ir na última hora e quase não conseguimos mesa. Minha cara de desespero e a simpatia da atendente Kimi, uma sul africana que entendeu meu desespero para alimentar quatro adultos e duas crianças com muita  fome, foi o que nos garantiu uma mesa.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Dicas de Viagem, EUA, orlando

Os reinos da Disney

Apesar de existirem vários parques em Orlando, quando falamos que vamos visitar a cidade acabamos falando o quê: vamos pra Disney! Não tem jeito, a mágica Disney é imbatível. Por isso, para começar a jornada, sempre acho que devemos começar pelo início de tudo: o Magic Kingdom.

O parque, o primeiro a ser inaugurado no Disney World Resort, abriu suas portas em 1971 e era a menina dos olhos de Walt Disney, apesar dele já ter experimentado o sucesso de 16 anos do original parque da Califórnia. A ideia era tornar reais as histórias infantis consagradas no cinema e trazer à vida os personagens mais queridos do grupo: Mickey, Minnie, Pateta, Donald, Pluto e cia.

A receita deu mais do que certo, quando entramos no parque e vemos o castelo da Cinderela ao fundo, é difícil controlar a emoção. O parque tem atrações para todas as idades e, o mais fascinante, é que alguns brinquedos  estão lá desde a inauguração e continuam encantando os visitantes.

Ao entrar no parque, percorremos a Main Street  (uma rua repleta de lojinhas estilizadas como uma pequena cidade americana do início do século passado). Logo na entrada pegue o seu mapa (agora existe uma versão em português) para planejar o caminho que você vai trilhar durante o dia e ver os horários das paradas e shows. pegamos os parques ainda com decoração de natal. Olha que lindo!

As áreas do parque são:   Adventureland ( terra das aventuras como “Os Piratas do Caribe), Frontierland ( replica do Velho Oeste, onde está a uma das atrações mais cobiçada a “Splash Mountain”),  Liberty Square ( lugar que relembra episódios da história americana e abriga a “Haunted Mansion”, casa assombrada!!!), Fantasyland (lugar onde estão as atrções principais envolvendo os personagens Disney) e Tomorrowland (terra com atrações futurísticas).

Obs: no segundo semestre de 2012 será inaugurada uma nova área no Fantasyland dedicado às princesas Disney.

Fast pass

O Fast pass é um grande aliado para você evitar as grandes filas das atrações mais cobiçadas. Em cada atração existe uma máquina de auto-atendimento, onde você coloca o seu ingresso e retira o passe para voltar ao brinquedo em um horário pré-estabelecido sem precisar entrar na fila normal. Mas, preste atenção, uma vez que você retira um Fast pass, você só poderá retirar outro duas horas depois (em alguns parques 3 horas). Além disso, existe um limite de passes que são distribuídos por dia, logo nas atrações mais populares, geralmente a distribuição é encerrada no meio da tarde.

Eu recomendo que ao entrar no parque você siga direto para a atração mais popular para ver se ela já está com muita fila ( se não estiver, vá logo neste brinquedo e use o Fast Pass para repeti-lo  mais tarde ou siga para outro brinquedo concorrido para usar a mesma estratégia). Pode parecer complicado, mas depois que você pega a manha, você não vai se arrepender. Na medida em que eu for descrevendo os parques eu sinalizo para vocês quais são as atrações nas quais o Fast pass vale ser retirado ( geralmente 4 ou 5 atrações em cada parque).

No Magic King Kingdom vale pegar o Fast Pass nas seguintes atrações:

Splash Mountain– queda de  um barquinho dentro de um lago onde além da emoção todos ficam molhados. Na entrada do brinquedo há uma loja que vende capas de chuvas do Mickey daquelas para enfiar na cabeça feito um poncho. Vale comparar e carregar em todos os parques, por que sempre terá uma atração que molha.

Big Thunder Mountain Railroad – pequena montanha russa uma mina de ouro do velho oeste.

Peter Pan’s Flight– voo pelos cenários do filme de Peter Pan como se estivesse fazendo parte da turma.

 

Space Mountain – Montanha russa que simula o voo de uma nave espacial. O grande charme é que é tudo em ambiente fechado no escuro.

Buzz Lightyear’s Space Ranger Spin– aventura que simula os desenhos de Buz Lightyear, onde você embarca em uma nave espacial e tem que atirar nos inimigos.

Todos estes estão na mina lista de favoritos, mas ainda há uma série de atrações imperdíveis como o Piratas do Caribe, a Casa Mal Assombrada ( que sofreu recentes reformas, Vá pelo caminho do cemitério. Tem várias brincadeiras interativas no caminho.), o  Mickey’s PhilharMagic ( filme em 3-D apresentada por Mickey. Adoro!!!!), o carrosel da Cinderela, o Mad Tea Party ( xícaras do chá da Alice que rodam  sem parar)  etc., etc, etc.

Todos são fantásticos!!!!!

Outro momento de filas grandes é o de encontro com personagens. No mapa do parque um ícone com uma luva do Mickey mostra os lugares onde os personagens aprecem durante o dia para dar autógrafos e tirar fotos. Cada personagem tem uma  entourage para organizar a fila e fotógrafos oficiais do parque para tirar as fotos. Estas filas podem ser enormes. Portanto se seu pequeno faz questão da foto e do autógrafo esteja preparado. Se você estiver hospedado em Hotéis do Complexo Disney, utilize as Horas extras “Extra Magical Hours”, quando as filas são bem menores. Foi só assim que consegui tirar a foto com a turma do Mickey.

Os fotógrafos oficias que estão espalhados pelo parque e Tb tirando fotos nos locais de encontro com personagens vão te dar um cartão magnético “Photo Pass”. Se você mostrar este cartão em qualquer parque da Dsiney, eles passam o mesmo em um leitor de código de barras e suas fotos ficarão armazenadas em um banco de dados único. No Guest Center de qualquer parque da Disney você pode pedir para ver as fotos e comprá-las na hora. Mas, se prefeir, vc pode ver tudo com calam depois que voltar de viagem no site do Foto Pass e comprar on-line.

Uma dica:  estes fotógrafos são super gentis e nunca se recusam a tirar fotos com as máquinas dos visitantes do parque. As fotos ficam ótimas e é uma boa oportunidade para você ter foto do grupo completo.

Além dos brinquedos, há uma série de eventos no parque, como o A Dream Come True Parade,  o famoso desfile dos personagens em carros alegóricos e a Main Street Eletrical Parade, que acontece a noite antes do espetáculo de fogos de artifício.  O show noturno é dividido em duas partes : The Magic, The Memories and You – com imagens de alta definição projetadas no Castelo da Cinderela produzindo efeitos especiais incríveis – e o Wishes – show de fogos de artifício coordenados com trilha sonora dos filmes Disney. É difícil segurar as lágrimas. Mesmo que os pequenos demontrem sinal de cansaço, vale a pena o esforço. O show é único! Veja o vídeo colocado no Youtube pelo site Inside the magic.

 Hora da refeição

Os parques da Disney tem uma série de barraquinhas com pipoca, sorvetes do mickey ( um clássico!), pretelzs, etc.  São várias opções de lanchonetes e restaurantes de refeições rápidas, mas optamos por almoçar no Palácio de Cristal, “Crystal P alace“, que oferece um buffet bem gostoso, com opções variadas e uma seção só de pratos infantis e sobremesas. O melhor é que você almoça com a turma do ursinho Pooh.  Enquanto você almoça, os personagens passam de mesa em mesa para  tirar fotos e dar autógrafos  e , ao final, eles organizam uma parada, onde as crianças podem segui-los dançando. É bom fazer reserva. Fizemos a nossa pela internet no site do resort Disney. Mas, também é possível reservar uma mesa na entrada do parque no centro de visitantes. O restaurante fica no fianl da Main Street à esquerda, e tem um bela vista para o castelo da Cinderela.

1 comentário

Arquivado em EUA, orlando

Orlando- Terra da Magia e Diversão

Férias em Orlando é garantia de diversão e também de muitas opções. Já tínhamos visitado alguns  parques em 2008, quando minha filha tinha 6 anos. Na ocasião, fiquei com a sensação de que faltava muita coisa e que era preciso voltar. Decidimos voltar nestas férias. Planejamos esta viagem com o objetivo:  fazer tudo que a cidade tem a oferecer. Fizemos muita coisa, mas a sensação de que ainda faltam coisas permaneceu.  Afinal, as possibilidades são muitas. Fiz uma conta por alto (perdoem se o cálculo não estiver preciso) e vi que hoje são 14 parques em Orlando e arredores. É muita coisa para uma viagem só, mesmo com crianças maiores.

Desta forma, a minha primeira dica é : planeje bem a sua estadia na terra da fantasia. Para vocês terem uma ideia, já saímos daqui com ingressos comprados, carro alugado, principais restaurantes reservados e uma boa noção de quais lugares gostaríamos de ir para fazer algumas compras.  Além dos tradicionais guias de viagem e de revistas especializadas, a blogsfera nos ajudou  bastante no planejamento. O blog Destemperadinhos e Viajando para Orlando   foram os mais consultados.

Este pré-roteiro nos ajudou muito e não pense que engessou a viagem, pois sempre há espaço para  improviso. Além disso, pudemos fazer tudo que queríamos com calma, em um ritmo bem agradável. Independente da idade dos seus pequenos e da sua ( pois adulto também se cansa nos parques), eu aconselho a separar um dia para cada parque e alterná-los com dias para comprar e passeios pela cidade. Mesmo que você já conheça os parques , vale vistá-los com calma, pois além das novidades é tão bom repetir as experiências. Eu, particularmente, viro criança e entro e cabeça na magia e encantamento. Não me canso de vasculhar cada detalhe e atração nova.

Nós optamos, por exemplo, pela seguinte programação: 3 dias seguidos de parques, um dia de compras, Discovery Cove ( pausa mais do que relaxante!), 2 dias de parques, dia livre para curtir o Hotel e passeios pela cidade, mais dois dias de parque e dia livre. Opte pelos ingresso conjugados, que oferecem descontos interessantes.

Este ritmo, funcionou bem para nós e duas meninas de 10 anos. Estava preparadíssima com farmácia e recomendações médicas para eventuais doenças infantis e quem acabou ficando doente na viagem fui eu. Pasmem. Graças a esta pausa forçada, perdemos a vista ao Bush Garden ( na agenda para a próxima visita).

Outra coisa que nos ajudou muito a enfrentar a maratona de diversão foi pararmos pelo menos uma vez ao dia para uma refeição estilo “slow food”. Como já disse Washington Olivetto em um livro: “só o Pateta come mal na Disney”. Mesmo dentro dos parques , descobrimos ótimas opções para uma refeição calma, tranquila e saborosa. Mas, para isso, é preciso ter reservas. Saiba que em Orlando, a maioria dos restaurantes fazem reservas on-line. Caso não queira fazer a reserva aqui no Brasil, peça ao concierge do seu Hotel para fazê-las pelo menos com 48 horas de antecedência, para você não perder a oportunidade.  Lembre-se que as crianças e bebês entram no número de pessoas para a reserva da mesa, mesmo que paguem preços diferenciados.

Ficamos em um Hotel dentro do complexo Disney, o que facilita bastante a logística para os parques e atrações como o Downtown Disney e Boardwalk (lugares com ótimos restaurantes!!). Lá dentro, usamos o sistema de tranporte oferecido, que tem ônibus, barcos, monorails para levá-lo a toda parte. Com isso eliminamos a necessidade de quatro dias de carro, que só foi alugado para cobrir os dias que irámos passear fora do Complexo. Ficar dentro da Disney tem várias outras vantagens: horários extras para aproveitar os parques, compras feitas nos parques entregues diretamente no seu quarto, serviço impecável com padrão disney e proximidade para todos os dias jantar no Downtown Disney ou Boardwalk.

 

Kit de sobrevivência

Seja qual for a idade das crianças eu recomendo um kit básico para facilitar eventuais emergências. Levo na mochila uma pequena farmacinha ( analgésico, curativos remédio para dor de cabeça e enjôo, etc), pequenos lanches, lenços de papel, boné, gorro, cachecol e luvas ( estávamos no inverno), capa de chuva dobrável ( para os inúmeros brinquedos que molham). Mas, tente ter tudo isso de forma bem compacta e miniaturizada, para que mochila seja pequena e caiba nos compartimentos de bagagem dos brinquedos. Eu que sou chegada em uma montanha russa, sou especialista em levar bagagens compactas para ter as mãos livres!

Além disso, tenha sempre um sistema de identificação para ser colocado na criança caso ela se perca. Minha filha se incomoda com crachás pendurados no pescoço, por isso  compro pulseiras impermeáveis de papel (aquelas usadas em eventos para identificar quem tem direito a áreas Vips, etc.), geralmente encontradas em lojas de artigos de festas. Escrevo nesta pulseira o nome dos pais, celular e nome do hotel.

Crianças menores vão precisar de carrinhos. Se você não tiver levado o seu, é possível  alugá-los na entrada dos parques, mas faça isso logo que você chegar, pois se optar por  alugá-los mais tarde , é possível que não consiga. Se o grupo tiver  pessoas mais idosas ou com alguma dificuldade de locomoção, sugiro alugar carrinhos elétricos. Da outra vez que estivemos em Orlando, meus pais estavam conosco e aproveitaram o dia bem melhor, por que se locomoviam com estes carrinhos.

Enfim, a viagem foi maravilhosa. Nos próximos posts vou compartilhar com vocês as atrações que nos encantaram de dar algumas dicas de cada parque que visitamos.

Deixe um comentário

Arquivado em Dicas de Viagem, EUA, orlando

Um giro rápido por Atlanta

Este ano começou muito bem, pois tirei longas e merecidas férias. O destino principal foi Orlando ( aguardem os posts que virão por aí), mas fizemos uma parada estratégica por Atlanta pois queríamos conhecer o maior Aquário do Mundo, o Georgia Aquarium.  Pegamos um voo pela Delta Airlines, que sempre faz uma escala em Atlanta, e aproveitamos para ficar 2 dias na cidade para conhecermos as atrações. Não é a primeira vez que fazemos isso. Você precisa pagar um pequeno adicional na passagem para fazer esta parada, mas vale a pena quando você quer fazer um giro rápido pela cidade.

As principais atrações turísticas da cidade ficam bem perto uma da outra, o que facilitou o nosso passeio. Escolhemos um Hotel perto deste centro turístico e acabamos fazendo tudo a pé. Ficamos no Hyatt Regency Atlanta, mas a região é cheia de hotéis.

A cidade dispõe CityPass que acaba sendo a opção mais econômica para aqueles que pretendem conhecer mais de três atrações turísticas. O passe pode ser comprado na bilheteria de qualquer uma das atrações incluídas no programa ou pela internet.

A visita começou pelo Centennial Olympic Park, inaugurado na ocasião dos Jogos Olímpicos de 1996, foi elaborado para ser uma área de lazer para os moradores da cidade. O parque  tem aproximadamente 85 mil metros quadrados e fica aberto diariamente com entrada gratuita. São vários pontos com esculturas e monumentos que remetem aos Jogos Olímpicos, como a estátua do Barão de Coubertin e um monumento em homenagem aos medalhistas com blocos de granitos com o nome de todos eles gravados. Uma boa diversão para as crianças é ficar procurando o nome dos brasileiros que ganharam medalhas naquele ano.

Mas, o ponto alto do parque é a fonte dos anéis olímpicos. Adultos e crianças se divertem com o show das águas e interagem com a fonte pulando para dentro dos anéis enquanto  as águas são ritmicamente desligadas e ligadas. O desafio é participar da brincadeira e não sair molhado. Tarefa para poucos.

O parque é um grande ponto de encontro da cidade e abriga uma vasta programação cultural e esportiva, com concertos e festivais durante todo o ano. Pegamos o parque ainda com a decoração de Natal e com um rinque de patinação aberto durante todo o dia.

Algumas das principais atrações da cidade ficam ao redor deste parque. O World of Coca-cola, o Georgia Aquarium e a sede da CNN. O refrigerante mais famoso do mundo foi criado em Atlanta, em 1886, pelo farmacêutico John Pemberton, devidamente homenageado com uma estátua localizada em uma praça batizada com seu nome, onde fica o museu e o aquário.

O World of Coca-Cola é muito interessante mesmo para quem não é devoto da bebida gasosa de fórmula secreta. O visitante vai conhecer detalhes da história do refrigerante, contada por obras de artes, propagandas, patrocínios de eventos (Jogos olímpicos)  e objetos inspirados pela marca.

Além disso, uma série de brincadeiras interativas  convida os visitantes a desvendar o segredo da fórmula da coca-cola, dentro de uma sala que representa o cofre que guarda este tesouro. O museu ainda tem um cinema 4D, uma demonstração sobre o processo de engarrafamento e uma sala onde é possível experimentar refrigerantes e bebidas regionais produzidas nos cinco continentes. Provamos várias coisas, da Inca Cola até refrigerantes africanos com misturas de frutas exóticas. Confesso que ficamos um pouco decepcionados em ver o Brasil representado  pelo Nestea Diet de Pêssego. Ficamos nos perguntando o que houve com o Guaraná Kuat???? Na saída, difícil é resistir a lojinha de souvenirs. Mas, quem está na chuva…

Deixamos para o dia seguinte o nossa atração principal. O Georgia Aquarium foi o causador desta parada, portanto mereceu uma atenção especial. O aquário é atualmente o maior do mundo, o único que tem 4 tubarões baleia em um tanque.

O local mantém além do tanque principal, com tubarões, raias mantas e grandes  peixes dos oceanos, um local reservado para animais de águas geladas ( pinguins e belugas), um show de golfinhos, filme 3D sobre o oceano, uma seção dedicada aos rios, aos mares tropicais e o Geórgia Explorer, onde onde os pequenos podem interagir com animais tocando em arraias, moluscos, tartarugas, etc. Tudo com voluntários á disposição para dar explicações sobre os animais e os habitats de cada espécie. Destaque para o local que exibe os pinguins. Você pode entrar engatinhando em um túnel de vidro para ver os animais bem de pertinho. As crianças adoram!

A visita é tão interessante e interativa que acabamos passando praticamente o dia inteiro no aquário. O passeio superou nossas expectativas. Só faltou mergulhar no tanque, o que é permitido uma vez ao dia para  felizardos dispostos a pagar US320,00 e que tem carteira de mergulho com tanque. O aquário oferece também interação com baleias belugas e programas de vistas para crianças aos bastidores na companhia de biólogos, atividade indicada para crianças que falam inglês fluente.  Ficamos sabendo no local, que há uma programação de pernoite no aquário, onde todos assistem palestras e no salão de observação do tanque principal.

O nosso giro pela cidade parou por aí. Mas existem outras atrações que devem ser bem interessantes como o Zoo de Atlanta (com um casal de Pandas), o Mudeu de História Natural de Fernbank, o High Museum of Art, visita aos bastidores da CNN além do memorial de Martin Luther King, nascido na cidade. Quem sabe em uma outra visita.

Deixe um comentário

Arquivado em Dicas de Viagem, EUA

Feliz Ano Novo!!!!

O final de ano passou como um furacão. Entre trabalho, apresentações de ballet, escola e compromissos familiares não consegui desejar Feliz Natal para os amigos nem escrever no blog. Mea Culpa! Agora chegamos naquele momento das resoluções de ano novo e prometo que em 2012 vou ser mais fiel aos meus posts e tentarei não deixar o blog muito tempo sem novidades. Mas, aviso logo, estou saindo de férias em janeiro, portanto posts semanais somente em fevereiro. A boa notícia é que tenho muita coisa ainda para escrever de viagens e passeios passados ( Lisboa, Bruxelas, Alemanha, Orlando, Fortaleza, Salvador, Arredores do Rio de Janeiro, Tiradentes, etc…), além dos passeio que farei nestas férias. Só para vocês terem uma ideia, dentro do espírito do blog, eu e minha família estemos entrando no ano novo dentro de um avião. Depois que conto como é esta experiência “glamurosa” de estourar o ano na classe econômica. Aguardem!!

Neste momento, queria desejar para todos vocês um 2012 repleto de realizações , saúde e alegrias. Vamos todos colocar nas nossas resoluções muitas viagens e menos preguiças para fazer passeios diferentes nas cidades em que moramos! Vamos circular por aí.  

“Para sonhar um ano novo que mereça este nome, você, meu caro, tem de merecê-lo, tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil , mas tente, experimente, consciente. É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre. ”

Carlos Drummond de Andrade 

(*) Imagem do ano novo em Copacabana publicada pelo G1

2 Comentários

Arquivado em Dicas de Viagem, Praia

Natal em Curitiba

Em Curitiba , Paraná, acontece todos os anos uma das grandes atrações natalinas do nosso país.  O Natal do HSBC – ou do Palácio Avenida , é um  espetáculo de luz e fogos de artifício onde a atração principal é um coral de 160 crianças, oriundas de um projeto social desenvolvido durante o ano pela instituição finceira.  As crianças ficam espalhadas pelas janelas do prédio histórico localizado na Rua XV de Novembro, que também é a sede do HBSC.  O coral apresenta todos os anos uma seleção de hits natalinos e canções nacionais e internacionais. Morei em Curitiba em 2005/2006 e fui assitir a apresentação uma vez. É impossível não se emocionar.

O Coral do HSBC está no seu 21º ano e 400 pessoas participam da organização. Todos os anos, cerca de 200 mil pessoas assistem às apresentações. Os ensaios começam logo no início de fevereiro, e só terminam dias antes da primeira apresentação, que começa no fim de novembro. As crianças participantes são, em sua maioria, abrigadas em 11 Casas Lares de Curitiba e região metropolitana.

O tema deste ano é “O Poder da Música”, que mostrará a capacidade de transformação que a música tem na vida das pessoas. A grande novidade será a participação do  artista brasileiro Marcos de Oliveira Kazuo, do Cirque du Soleil, como mestre de cerimônia. O evento promete surpresas para o público, que vai poder interagir com Kazuo através de uma plataforma que eleva o espectador e o transforma em parte do espetáculo. No total serão 18 canções natalinas. Durante o espetáculo, seis crianças vão tocar violino e os shows ainda vão contar com a presença de quatro bailarinos profissionais de Curitiba.

As apresentações começarão no dia 25 de novembro e seguirão até o dia 18 de dezembro, de sexta-feira a domingo, sempre às 20h30.

Dicas
Chegue cedo para conseguir um bom lugar. Milhares de pessoas se aglomeram no calçadão da XV todas as noites de apresentação. As pessoas assistem ao espetáculo de pé. Crianças pequenas verão melhor o espetáculo nos ombros de um adulto, pois a aglomeração é grande e não sobre nehum espaço para a circulação de pessoas na hora do espetáculo. é quase como a área do gargarejo de um show de rock. Por isso, acho melhor se programar e reservar  lugar em alguns restaurantes e hotéis da região que têm vista para o palácio. Evite ir de carro, pois não há lugar para estacionar.E, por fim, não abra mão dos casacos e capas de chuva. Quando fui assitir a apresentção, estava usando meu casaco de couro e minha filhota toda encapotada em pleno novembro. O clima curitibano é europeu. Acredite!

O jornal Gazeta do Povo fez materia recente com vídeo com a previa do espetáculo deste ano. Veja aqui.

Deixe um comentário

Arquivado em Dicas de Viagem, Dicas gerais, Sul

A Mágica Disney no Times Square

A Disney está fazendo uma ação promocional mágica no Times Square de Nova Iorque. Utilizando a tecnologia de realidade aumentada a imagem das pessoas que estão no calçadão na frente da Disneystore é projetada no telão da loja com interatividade com os diversos personagens Disney. Não consegui descobrir até quando a ação estará acontecendo. Portanto se você estará na cidade neste final de ano aproveite. Depois me conta como foi. O vídeo abaixo dá uma mostra de como a ação é legal!

Deixe um comentário

Arquivado em Dicas de Viagem, EUA