Arquivo da tag: esportes

Discovery Cove- Uma pausa revigorante

Guardei para o último posto sobre Orlando, o que para mim foi o melhor momento da viagem . Desde criancinha eu tinha o sonho de ter um golfinho. Queria o meu Flipper, para nadar, brincar e viver mil aventuras. Como não sou bióloga marinha nem treinadora de mamíferos marinhos, tive de esperar pela realização deste sonho durante anos. Por isso, desta vez decidi que iria fazer a interação com golfinhos do Discovery Cove mesmo estando em Orlando no inverno.  Foi sensacional!

O maior receio era de estar muito frio ou chovendo no dia marcado. Por isso, lá vai a primeira dica. O parque te dá a chance de remarcar o passeio por questões climáticas, por isso marque sua ida em uma dia no meio da viagem para que você tenha outra opção de data caso chova muito.

Compramos os ingressos que dão direito a outros parques do Grupo ( Sea World, Aquatica e Bush Gardens). Tinha planejado chegar cedo no parque, fazer a interação com os golfinhos, almoçar e partir para o Sea World ou Aquatica para aproveitar o resto do dia.  Não foi o que aconteceu! O parque é tão maravilhoso e relaxante, que passamos o dia inteiro nele e saímos no último minuto.

O sistema é all-inclusive. Pelo preço do ingresso, você terá direito a café da manhã, almoço, lanches e bebidas o dia inteiro ( inclusive alcoólicas), aluguel de roupa de mergulho, snorkel, armários para guardar pertences, etc. Você só vai gastar dinheiro com lembrancinhas , fotos e vídeo do momento que estiver com os golfinhos. Chegue cedo, não só para aproveitar as delícias do parque como também para marcar sua interação com os golfinhos no horário que for mais conveniente.

Ao chegar, os convidados fazem um check-in como se estivessem chegando a um hotel, onde você ganhará credenciais com foto, mapa do parque e instruções gerais sobre sua estadia. Tivemos muita sorte. O dia de inverno estava ensolarado e com temperatura super agradável, mesmo assim todos usamos roupas de neoprene para garantir mais conforto durante os mergulhos.

A organização do parque é impecável, após toamr o seu café da manhã em um Buffet, você é direcionado  para os vestiários, onde são emprestadas toalhas, roupas de mergulho, mascaras e snorkel. Tudo sem estresse, sem filas. O parque tem um número limitado de visitantes por dia para garantir este conforto. Pessoas com necessidades especiais são bem vindas, pois eles oferecem cadeiras de rodas especiais para praia. É preciso apenas avisar no momento da reserva.

Seguimos para a Stingray Lagoon  e o Tropical Reef(lagoa das arraias e barreira de Corais tropicais ) para um mergulho de snorkel. A lagoa é repleta ( repleta !!!!) de peixes tropicais e arraias de varias espécies. Incrível. Mesmo aqueles que estão acostumados com o mergulho ficam fascinados com a diversidade e quantidade de peixes. As arraias são um capítulo a parte, pois são de todos tamanhos e super dóceis. Não há como resistir a um carinho. Todas com o ferrão retirado para não haver problemas. As crianças de todas as idades podem participar. Não há perigo algum. Acredite! Se jogue na água sem medo!

Não se surpreenda se ao final desta lagoa você der de cara com um tubarão ou uma barracuda. Eles estão em outro tanque, separados por um grosso vidro, mas a sensação é que eles estão nadando bem ao seu lado.

Enfim, para os que amam vida marinha, esta é uma oportunidade de estar ao lado de muitos peixes e arraias sem esforço algum. Uma aula de biologia marinha para toda família. Esqueci de falar que no local onde as roupas de mergulho são entregues, eles também emprestam filtro solar e tábuas de peixes. Um pequeno cartaz impermeável que você pode levar para o mergulho para identificar as espécies que encontrar. Relax total! Repetimos o mergulho algumas vezes, entre uma descansada na praia, um drink ou um sorvete.

Você acha que já entendeu por que passamos o dia inteiro por lá? Calma! Ainda tem mais. O parque conta ainda com um rio de água doce levemente aquecida que leva o visitante ao um passeio por dentro de um viveiro tropical de aves. No caminho, cachoeiras, cavernas, lagoas e uma leve correnteza, que te levará pelo leito do rio sem esforço. Aqui é fácil aplicar a máxima das crianças e repetir o passeio de novo..de novo…de novo. Perdi a conta.

Entre um mergulho e outro, chegou a hora da atração mais esperada: a interação com os golfinhos. Somos levados para um quiosque, onde uma treinadora/bióloga passa instruções gerias e informações sobre os mamíferos. Somos então levados em grupo de 7 pessoas para a lagoa, onde acontecerá o grande encontro. Saiba que somente crianças a partir de 8 anos podem participar da interação. Um fotógrafo e um câmera registram tudo. Você terá de pagar a parte por este registro, mas ao final você levará uma bela lembrança com fotos também tiradas por outros profissionais que ficam espalhados pelo parque.

Só de estar em pé nesta lagoa onde os golfinhos estão já nadando já me emociona. Queria tanto este momento que entrei em uma espécie de frenesi. Confesso! Mas, foi tudo que eu imaginava. A interação dura uns 40 min. Recebemos explicações sobre os animais, hábitos alimentares, anatomia, etc. temos a oportunidade de acariciarmos seu dorso, calda, damos beijinho  e participarmos de um show particular, onde eles fazem acrobacias respondendo aos nosso comando que acabamos de aprender. As crianças adoram. O ponto alto é quando somos convidados para nadar com um golfinho. Acredito que este nado durou uns poucos 30s. Fica um gostinho de quero mais. Neste momento queria ficar indo de lá para cá ininterruptamente. Por que não foi possível?? Afinal eu , e toda a torcida do Flamengo, queremos a mesma coisa. Enfim, parece pouco, mas para mim foi mágico.

Foi um dia magnífico! Funcionou como um  pausa refrescante e relax para a correria dos outros parques. O Discovery Cove é um verdadeiro Oasis, e proporciona para toda a família um dia perfeito, daqueles que você lembrará para o resto da vida. Para mim, este foi o grande momento da viagem.

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Dicas de Viagem, Dicas gerais, EUA, orlando

Os bastidores do Cinema

Que tal passar um dia brincando de cineasta e visitando o set de filmagens de filmes que ficaram na nossa memória? Assim é o dia No Hollywood Studios, parque inaugurado em 1989 no complexo Disney.  O projeto inicial tinha o objetivo de celebrar os anos dourados de Hollywood e também de mostrar as atrações baseadas nos filmes dos estúdios Disney. O parque recebeu várias atualizações nos últimos anos, inclusive acrescentando atrações do adquirido estúdio da Pixar.

Para aproveitar ao máximo as atrações do  Hollywood studios fique atento a alguns detalhes. O Fast pass  só pode ser retirado a cada três horas, portanto planeje bem a retirada deles. O parque tem alguns shows que só acontecem em determinadas horas do dia, portanto pegue a programação na entrada para não perdê-los. São eles: The American Idol Experience (competição de cantores igual ao programa da TV), Indiana Jones (show de dublês mostrando cenas do filme), Lights, Motors, Action! (apresentação de cenas de ação com carros em alta velocidade, jet skis e muitas explosões), A Bela e a Fera  (musical) e a Pequena Sereia (musical).

Todos os dias ao anoitecer é encenado o Fantasmic, em uma arena onde o palco fica em cima de um grande lago. A apresentação é estrelada por Mickey (em seu personagem do aprendiz de feiticeiro) que enfrenta aventuras com os vilões da Disney e mostra cenas memoráveis dos principais filmes com as princesas. O show mistura de efeitos especiais, lasers, fogos de artifício e  projeções de imagens de alta definição em cortinas d’água. Imperdível. Para garantir um bom lugar na arena, chegue pelo menos 40 in antes do espetáculo. Mas. Alguns restaurantes do parque oferecem um pacote que inclui, além da refeição, lugares reservados na arena. Informe-se e faça reservas no site.

São quatro atrações que precisariam da ajuda do fast pass, pois costumam a ter as maiores filas do parque:

–  A minha favorita montanha russa,  Rock’n Roller Coaster- Aerosmith. Eu fui três vezes no mesmo dia. O carrinho é uma limusine que vai levá-lo como convidado para um show do Aerosmith. Durante o passeio, em um ambiente escuro, você experimenta e emoções de velocidade , quedas e looping ao som potente da banda! UAU! Adoro!

– O Twilight Zone Tower of Terror. Em um Hotel assombrado por uma família que morreu em um acidente, você é convidado a dar um passeio em um elevador que acaba caindo. E que queda!

– Toy Story Midway Mania! Embarque em uma grande brincadeira com Woody e cia., testando suas habilidades no tiro ao alvo. O brinquedo não tem nada de radical. Acho que as filas são enormes por que adultos e crianças são fascinados pelos personagens do filme.

– Star Tours. Eu não precise de fast pass por que a fila estava pequena, mas é bom verificar. Trata-se de um simulador com imagens em alta definição, que leva os passageiros de uma nave espacial a todos os planetas encontrados nos filmes da saga Star Wars. O brinquedo foi recentemente reformado para incluir os mundos dos filmes mais recentes.  Um manjar dos deus para os fãs da série.

As crianças menores vão se encantar com a área destinada ao estudio da Pixar, onde além dos brinquedos, existe uma área para encontrar os personagens do filme. Neste setor , os menores vão se divertir com o jardim inspirado no filme ” Querida Encolhi as Crianças”, que é um grande playground onde eles vão se sentir como formiguinhas. Não deixe de ir ao filme 3-D do Muppet Show. Agora que estes personagens voltaram à cena, este filme ficou mais interessante.

O Hollywood Studios tem várias outras atrações para os amantes do cinema. Demonstrações de efeitos especiais, visita aos bastidores do parque, exposições com a história de walt Disney, etc. Não deixe de ir ao The Great Movie Ride, um passeio de 22 minutos pelas cenas dos mais saudosos e incríveis filmes de Hollywood. Uma delícia.

Neste parque escolhemos um restaurante muito gostoso para fazer uma pausa na correira dos brinquedos. Reservamos com antecedência no site uma mesa no Mama Melrose, um restaurante italiano com preço fixo por refeição que inclui bebidas não alcoólicas, entradas e sobremesa. E que sobremesas!!!!! O ambiente de tratoria é muito agradável e o restaurante oferece o pacote que dá direito aos lugares reservados para o show Fantasmic. Vale muito a pena!

2 Comentários

Arquivado em Dicas de Viagem, EUA, orlando

Orlando- Terra da Magia e Diversão

Férias em Orlando é garantia de diversão e também de muitas opções. Já tínhamos visitado alguns  parques em 2008, quando minha filha tinha 6 anos. Na ocasião, fiquei com a sensação de que faltava muita coisa e que era preciso voltar. Decidimos voltar nestas férias. Planejamos esta viagem com o objetivo:  fazer tudo que a cidade tem a oferecer. Fizemos muita coisa, mas a sensação de que ainda faltam coisas permaneceu.  Afinal, as possibilidades são muitas. Fiz uma conta por alto (perdoem se o cálculo não estiver preciso) e vi que hoje são 14 parques em Orlando e arredores. É muita coisa para uma viagem só, mesmo com crianças maiores.

Desta forma, a minha primeira dica é : planeje bem a sua estadia na terra da fantasia. Para vocês terem uma ideia, já saímos daqui com ingressos comprados, carro alugado, principais restaurantes reservados e uma boa noção de quais lugares gostaríamos de ir para fazer algumas compras.  Além dos tradicionais guias de viagem e de revistas especializadas, a blogsfera nos ajudou  bastante no planejamento. O blog Destemperadinhos e Viajando para Orlando   foram os mais consultados.

Este pré-roteiro nos ajudou muito e não pense que engessou a viagem, pois sempre há espaço para  improviso. Além disso, pudemos fazer tudo que queríamos com calma, em um ritmo bem agradável. Independente da idade dos seus pequenos e da sua ( pois adulto também se cansa nos parques), eu aconselho a separar um dia para cada parque e alterná-los com dias para comprar e passeios pela cidade. Mesmo que você já conheça os parques , vale vistá-los com calma, pois além das novidades é tão bom repetir as experiências. Eu, particularmente, viro criança e entro e cabeça na magia e encantamento. Não me canso de vasculhar cada detalhe e atração nova.

Nós optamos, por exemplo, pela seguinte programação: 3 dias seguidos de parques, um dia de compras, Discovery Cove ( pausa mais do que relaxante!), 2 dias de parques, dia livre para curtir o Hotel e passeios pela cidade, mais dois dias de parque e dia livre. Opte pelos ingresso conjugados, que oferecem descontos interessantes.

Este ritmo, funcionou bem para nós e duas meninas de 10 anos. Estava preparadíssima com farmácia e recomendações médicas para eventuais doenças infantis e quem acabou ficando doente na viagem fui eu. Pasmem. Graças a esta pausa forçada, perdemos a vista ao Bush Garden ( na agenda para a próxima visita).

Outra coisa que nos ajudou muito a enfrentar a maratona de diversão foi pararmos pelo menos uma vez ao dia para uma refeição estilo “slow food”. Como já disse Washington Olivetto em um livro: “só o Pateta come mal na Disney”. Mesmo dentro dos parques , descobrimos ótimas opções para uma refeição calma, tranquila e saborosa. Mas, para isso, é preciso ter reservas. Saiba que em Orlando, a maioria dos restaurantes fazem reservas on-line. Caso não queira fazer a reserva aqui no Brasil, peça ao concierge do seu Hotel para fazê-las pelo menos com 48 horas de antecedência, para você não perder a oportunidade.  Lembre-se que as crianças e bebês entram no número de pessoas para a reserva da mesa, mesmo que paguem preços diferenciados.

Ficamos em um Hotel dentro do complexo Disney, o que facilita bastante a logística para os parques e atrações como o Downtown Disney e Boardwalk (lugares com ótimos restaurantes!!). Lá dentro, usamos o sistema de tranporte oferecido, que tem ônibus, barcos, monorails para levá-lo a toda parte. Com isso eliminamos a necessidade de quatro dias de carro, que só foi alugado para cobrir os dias que irámos passear fora do Complexo. Ficar dentro da Disney tem várias outras vantagens: horários extras para aproveitar os parques, compras feitas nos parques entregues diretamente no seu quarto, serviço impecável com padrão disney e proximidade para todos os dias jantar no Downtown Disney ou Boardwalk.

 

Kit de sobrevivência

Seja qual for a idade das crianças eu recomendo um kit básico para facilitar eventuais emergências. Levo na mochila uma pequena farmacinha ( analgésico, curativos remédio para dor de cabeça e enjôo, etc), pequenos lanches, lenços de papel, boné, gorro, cachecol e luvas ( estávamos no inverno), capa de chuva dobrável ( para os inúmeros brinquedos que molham). Mas, tente ter tudo isso de forma bem compacta e miniaturizada, para que mochila seja pequena e caiba nos compartimentos de bagagem dos brinquedos. Eu que sou chegada em uma montanha russa, sou especialista em levar bagagens compactas para ter as mãos livres!

Além disso, tenha sempre um sistema de identificação para ser colocado na criança caso ela se perca. Minha filha se incomoda com crachás pendurados no pescoço, por isso  compro pulseiras impermeáveis de papel (aquelas usadas em eventos para identificar quem tem direito a áreas Vips, etc.), geralmente encontradas em lojas de artigos de festas. Escrevo nesta pulseira o nome dos pais, celular e nome do hotel.

Crianças menores vão precisar de carrinhos. Se você não tiver levado o seu, é possível  alugá-los na entrada dos parques, mas faça isso logo que você chegar, pois se optar por  alugá-los mais tarde , é possível que não consiga. Se o grupo tiver  pessoas mais idosas ou com alguma dificuldade de locomoção, sugiro alugar carrinhos elétricos. Da outra vez que estivemos em Orlando, meus pais estavam conosco e aproveitaram o dia bem melhor, por que se locomoviam com estes carrinhos.

Enfim, a viagem foi maravilhosa. Nos próximos posts vou compartilhar com vocês as atrações que nos encantaram de dar algumas dicas de cada parque que visitamos.

Deixe um comentário

Arquivado em Dicas de Viagem, EUA, orlando

Praia de Pipa

A praia de Pipa está localizada a 85 km e Natal , no município de Tibal do Sul. A proximidade da capital faz com que muitos turistas façam um passeio de um dia ( bate e volta) para conhecer o balneário. O lugar é tão lindo e repleto de praias para todos os estilos, que eu recomendo passar alguns dias se hospedando nas pousadas charmosas encontradas por lá. Estivemos em Pipa em 2003, quando Clarice tinha 2 anos e meio, e ficamos três dias. Ficou um gostinho de quero mais, por isso espero poder voltar lá em breve.

A origem do nome  Pipa  tem duas versões. A primeira diz que o nome indígena significa “entre duas águas” (já que é cercado pela Lagoa de Guaraíras e o Oceano Atlântico). A segunda diz que o nome foi dado pelos portugueses, pois no local há uma enorme rocha em formato de barril. A praia começou a ficar mais famosa na década de 80 por ser um ótimo local para a prática de surf, mas existem também opções de praias tranquilas onde é possível fazer caminhadas, trilhas, passeio de bugue, caiaque, passeios a cavalo entre outras atividades. Este litoral é também frequentado por  golfinhos e tartarugas que podem ser facilmente encontrados nas praias e em mergulhos. Impressionante!  Passamos a tarde inteira na praia de do Madeiro na companhia de golfinhos que pescavam tainhas tranquilamente na arrebentação. Quem me conhece melhor, sabe que isso para mim é a definição do paraíso.

Nos hospedamos na ultra charmosa Toca da Coruja, pousada que faz parte da Associação Roteiros de Charme, que naquela época aceitava crianças. Hoje a pousada hospeda apenas jovens acima de 12 anos. Além e belíssimas instalações, o grande charme da pousada é o café da manhã,  servido em um local aberto, onde, além de estar em contato direto com a mata atlântica, você pode se deliciar com pães, broas e tapiocas  saídas diretamente do forno de lenha. O restaurante Oca da Toca é sofisticadíssimo e merece ser visitado  mesmo que você não esteja hospedado na pousada.

Da próxima vez que eu for, gostaria de me hospedar no hotel  Sombra e Água Fresca que fica no alto da falésia, e tem uma vista deslumbrante de 360 graus de paisagem desimpedida. Este hotel fica perto da  praia favorita dos golfinhos.

Além de relaxar nas praias próximas a Vila (praia do Amor, Curral, Madeiro, etc) vale muito a pena contratar um passeio para conhecer todo o contorno do litoral mais ao sul e ir até a fronteira com o estado da Paraíba. Fizemos este passeio de buque, o que foi uma grande aventura com uma criança de dois anos de meio.  Mas, a beleza das paisagens e a ajuda do motorista , que fez todas as paradas no nosso ritmo, fez com que o passeio tenha sido um dos mais maravilhosos que já fizemos.

O passeio começa no Chapadão, um caminho por cima das falésias que mais parece uma paisagem de outro planeta, com fendas e crateras na terra vermelha característica da região. O carro vai atravessando este caminho acidentado margeando o mar. A vista é deslumbrante! Em seguida faz-se uma parada na lagoa de Coca-cola. Não me lembro se ela tem outro nome, mas este apelido é devido à cor da água idêntica ao refrigerante. Seguimos em direção á Baia Formosa e Barra do Cunhaú, onde o rio encontra o mar e pode-se mergulhar nas águas salobras   e mornas. No caminho, passamos pelo coqueiro mais reto no Rio Grande do Norte. A foto diz tudo.

O passeio vai seguindo pelas praias até à divisa com a Paraíba, onde paramos no Ombak,  um misto de cachaçaria, restaurante e botequim, onde fica-se com o pé na areia  para degustar quitutes locais e  mais de 20 tipos de cachaça de todo Brasil envelhecidas em tonéis de madeira. O ideal é pedir uma seleção  de pastéis e empadas com  diversos tipos de recheios e pedir uma caipirinha. Isso é que é vida!

Além da natureza única e exuberante, a vila de Pipa tem vários atrativos gastronômicos e lojinhas charmosas. Vale dar uma passeada no final da tarde e início da noite. Escrevendo este post  cheguei a conclusão que está mais do que na hora de voltar lá.

4 Comentários

Arquivado em Dicas de Viagem, Nordeste, Praia

Paris – parques e arredores

Paris tem uma boa quantidade de parques em várias regiões da cidade. Para um turista fica difícil conhecê-los todos em apenas uma visita. Mas, vale a pena planejar uma manhã ou uma tarde da viagem para fazer um piquenique, que é ótimo para botar as crianças para brincar. Além disso, que lugar mais perfeito para você visitar um mercado e fazer umas comprinhas básicas para degustar em família? Uma vista ao supermercado em paris faz parte do programa, e como você não vai poder encher a sua male de pães, queijos, embutidos e doces maravilhosos. O melhor mesmo é comprá-los e organizar um piquenique inesquecível. Sugiro dois parques:

 Jardim de Luxembugo

Este é bastante frequentado pelos moradores da região, que fazem caminhadas, exercícios  ou ficam sentados nas espreguiçadeiras a vida passar ( esporte desenvolvido e comumente praticado entre os franceses). Os jardins são encantadores. No local você pode conhecer o antigo Palácio de Luxemburgo pelo lado de fora, pois hoje a construção abriga o senado francês. O que considero um charme um pequeno lago bem perto do palácio,  onde as crianças podem alugar barquinhos a vela para brincar. São barquinhos de madeira, a moda antiga, o que nos leva a uma viagem ao passado imaginando como seria a mesma brincadeira no início do século passado, quando crianças já passeavam por ali. Ao lado do parquinho de diversões, acontecem em dias alternados apresentações de teatro de marionetes. Os horários são informados em cartazes na entrada do teatro, que existe no local desde 1933.

Parc André Citroën

O parque tem este nome, por que foi construído em um antigo terreno da fábrica de automóveis. Mais afastado do centro,  tem um grande atrativo para viagens realizadas no verão. Trata-se de uma pátio enorme com jatos d’água que brotam do chão. Nos meses de verão, o calor pode ser insuportável. Acredite! Até os adultos vão ficar com vontade de se jogar nesta brincadeira. Vale levar roupas extras para toda a família. Os jardins são bem diferentes e coloridos, pois prestam homenagem as cores do arco-íris, com áreas relacionadas ao dourado, vermelho, azul, laranja, verde, entre outras cores. O gramados são extensos e bem cuidados. Aqui as crianças podem jogar bola, correr á vontade, e vocês podem escolher o melhor lugar para montar o seu piquenique. Experimente o sorvete vendido no local. Ele é orgânico e produzido na fazenda do parque. Vocês poderão ainda subir em um balão que fica preso no chão e leva os aventureiros a uma altura de 150m. A vista é deslumbrante.

Bois de Bouglogne

Este é o maior parque da cidade. Na verdade é um conjunto de parques (Bagatelle, Pré-Catelan e Jardin d’Acclimatation). É  possível alugar bicicletas na frente do jardin d’Acclimatation, que serve de ponte de partida para um percurso de 15km de ciclovia.  Aqui também é onde existem mais atrações para a criançada. Visite a área dos carrosséis (manéges), que além dos tradicionais brinquedos, oferece montanha russa, labirinto de espelho, chapéu mexicano entre outros.  Aqui também há um tradicional teatro de marionetes que encanta toda a família.

O complexo anda oferece um pavilhão de aves, com aves exóticas,  e uma fazenda com galinhas, ovelhas e cabras que podem ser alimentadas pelas crianças. Além disso, na praça central, há uma enorme flor /fonte que lança jatos d’agua, onde as crinças se esbaldam no verão. Faça como os pequenos franceses e se jogue! Para finalizar visite o Explor@dome, com espaços interativos  dedicados a ciência e as artes multimídia.

Arredores

Château de Versailles

Que criança que não gosta de visitar um palácio, ainda mais sabendo que reis e rainhas circularam por aqueles  corredores. A vista ao Palácio de Versailles é imperdível. Acaba sendo um passeio de dia inteiro. leve isto em conta ao planejar sua estadia em Paris. é possível chegar até lá por conta própria, por meio do RER ( trem urbano que liga Paris às cidade próximas). Mas também existem várias opções de excursões ( com ou sem guia)  destinadas aos turistas que podem ser uma boa opção. Informe-se com o concierge do seu Hotel.

O Palácio foi construído no século XVII para ser moradia do rei Luís XIV. Também foi palco da Revolução Francesa, quando a corte de Luís XV teve de se render e entregar o Palácio aos revolucionários. A decoração dos salões e aposentos do palácio são suntuosos, o que desperta a atenção dos pequenos. O grande destaque á a sala dos espelhos. Imaginem os grandes bailes que aconteceram neste lugar. As crianças ficam bem impressionadas com as pinturas que retratam os reis e rainhas espalhados pelo local.

Os jardins são uma atração a parte. A área a ser percorrida é gigantesca. Mas, é possível alugar carruagens , o que torna o passeio mais especial. Para conhecer os pontos mais distantes, como o Pequeno Trianon, pequeno palácio onde Maria Antonieta recebia seus amigos, é possível alugar carrinhos elétricos.

Entre abril e outubro o local abriga um festival de música chamado Les Grandes Eaux Musicales, um verdadeiro balés de águas e efeitos sonoros nas fontes localizadas nos jardins. Além disso, uma série de espetáculos são realizados no palácio. Veja no link abixo um vídeo que mostra o que pode ser apreciado por lá.

http://www.youtube.com/watch?v=x87Rkfardv0&feature=related

Parc Asterix

Aqui em casa somos todos apaixonados por este sedutores gauleses que não se renderam ao exército romano. Temos a coleção inteira de Asterix e vimos todos os filmes baseados nas histórias de Uderzo. Não podámos deixar de ir até lá. O parque fica a 30 quilômetros de paris. A melhor maneira de chegar até lé é por meio de um serviço de ônibus que saem da estação de Bateaux Mouche bem em frente da Torre Eiffel. Você compra o ingresso lá mesmo já com direito a entrada para o Parque e o ônibus de ida e volta. O ônibus parte por volta das 10h, mas para ter certeza, peça informação no Hotel ou consulte no site.

O Parque é dividido em seis áreas: a Vila Gaulesa, Roma Antiga, Grécia Antiga, Idade Média, Século XVII e Tempos Modernos. Todas estas áreas são muito bem ambientadas e nos levam diretamente para as páginas dos quadrinhos. A Vila Gaulesa é onde ficam as lojas de souvenir e também onde se reúnem os personagens. Não há como resistir a uma série de fotos em frente das fachadas das casas dos personagens, da estátua do Numerobis, entre outras atrações.

Na Roma Antiga estão duas atrações muito divertidas. Um simulador onde você percorre varias estações como se você fosse ser testado para se recrutar ao exército romano , como também o Les Stars de L’Empire, que é um show representado numa espécie de coliseu onde as estrelas são os gladiadores de César. Na Grécia Antiga, há uma apresentação de golfinhos no Teatro Poseidon. Fiquem atentos aos horários das apresentações.

Para os maiores, eles oferecem duas montanhas russas ( Tonnere de Zeus e Goudurix) e uma série de brinquedos que terminam em quedas d’água. Os brinquedos molham mesmo, portanto traga uma muda de roupa. Não perca o Le Grand Splash, o nome fala por si mesmo. A única atração que eu não recomendo é casa mal assombrada. Muito mais atraente e interessante vista pelo lado de fora. Perdemos um tempo enorme em uma fila gigantesca que se estende por dentro de um labirinto dentro da casa, para fazermos um passeio de 15 min muito, mas muito sem graça. Não assustava nem bebezinho.

Para terminar….

Paris tem muito mais atrações, museus e parques além das que trouxe para vocês aqui no blog. Sugiro comprar o livro  Paris com as Crianças, escrito por Anna Chaia e Adriana Moller. Lá vocês poderão obter informações detalhadas sobre as principais atrações da cidade com dicas de restaurantes, lojas, etc. Este guia foi muito usado  na nossa viagem.

1 comentário

Arquivado em Dicas de Viagem, Europa

Sommerrodelbahn ou trenó de montanha


Que tal descer uma montanha em um trenó sobre trilhos, onde você pode controlar a velocidade na medida do seu espírito de aventura. Isso é o que você pode experimentar em um passeio em uma Sommerrodelbahn, ou trenó de montanha como está sendo chamado aqui no Brasil. A primeira vez que andei em um trenó deste tipo foi na Alemanha em uma viagem em família, quando minha filha e as primas se esbaldaram . Por isso, em outra oportunidade que estivemos na Europa, procurei na internet uma Sommerodelbahn perto dos locais da viagem para repetir a aventura. Este tipo de instalação é comum em estações de esqui, portanto pode ser encontrado em diferentes países.

Fiquei feliz em saber que agora  existem pelo menos dois lugares que oferecem  este passeio aqui no Brasil: Balneário Camboriú e Canela ( se alguém souber de mais algum, por favor me avise!). Gostaria de visitá-los assim que possível, mas seguem já as coordenadas daquelas que visitei e das que podemos conhecer aqui no Brasil.

Alpsee Bergwelt

Localizada no sul da Alemanha na pequena cidade de Immenstadt. Esta região é perto da Estrada Romântica, famoso roteiro turístico da Alemanha, onde os turistas percorrem cidades e vilarejos para visitar belos castelos. O complexo de entretenimento oferece, além da descida de trenó, passeio de teleférico, trilhas de caminhadas, arvorismo, parque infantil, camas elásticas e tirolesa.  Além disso, no topo da montanha há um restaurante com comidas típicas da região, de onde você pode admirar  a belíssima vista para o lago Alpsee que fica logo em frente.

É um programa para o dia inteiro. Quando estivemos por lá, descemos três vezes no trenó ( cada descida dura em média 15 min), almoçamos com calma e as crianças brincaram na cama elástica enquanto esperavam na fila do trenó. Ao final, não resistimos a um mergulho no lago para refrescar.  Este é um passeio típico de verão para os alemães.

Hoje em dia , na temporada de verão, eles ficam abertos para passeio noturnos. Mas, vale consultar estes detalhes no site se for visitar o local em outra época.  Até por que eles ficam abertos durante o ano inteiro. No inverno, eles colocam uma espécie de pára-brisa no carrinho e descem em qualquer condição climática.

A diversão já começa na subida.  O teleférico nos leva calmamente até o local onde estão todas as atrações e podemos ouvir o som dos sinos de um pequeno rebanho de vacas que pastam na montanha. A paisagem alpina é deslumbrante tanto no inverno quanto no verão ( quando estivemos por lá), portanto tenha bateria suficiente para tirar muitas fotos.

A descida no trenó não tem mistério. O mecanismo é bem simples. Você tem uma alavanca para controlar a velocidade. Coloque-a para frente para soltar o carrinho e puxe-a na sua direção para frear. Podem sentar duas pessoas em cada carrinho e, desta vez, cada adulto levou uma criança e controlou a velocidade.  Mas, preste atenção, você precisa ficar atento aos carrinhos que estão na sua frente para evitar colisões. Muitas pessoas vão a estes lugares para fazer um passeio tranquilo e admirar a paisagem.  Como não há como ultrapassar um carrinho lento na sua frente, se você estiver querendo velocidade, é melhor diminuir o ritmo e esperar o carrinho da frente se distanciar. Porém, não é permitido parar na descida, o que pode provocar acidentes.  Se você quiser velocidade, a aventura  é garantida. São 68 curvas, 7 quedas, e 4 pontes em uma descida onde você pode atingir uma velocidade máxima de 40km/h.

Para chegar lá, o melhor que você pode fazer é colocar o endereço no GPS. Mas o site tem mapas com instruções detalhadas.  Não achei um ícone para transforma o site em uma versão em língua inglesa, portanto se  você não fala alemão coloque o endereço no Google maps.

Alpsee Bergwelt GmbH & Co.KG
Ratholz 24
87509 Immenstadt

Hasenhorn Rodelbahn

Esta detém o título de maior da Alemanha.  São  2.9km de trilhos de pura emoção. Até por que quando fomos neste passeio, a Clarice já estava com 9 anos e resolveu ir sozinha acompanhada da prima. Eu fui no carrinho de trás e as perdi de vista.  Tenho a impressão que elas não frearam nenhuma vez.

Localizada na pequena cidade de Todnau, esta montanha fica na Floresta Negra.  A paisagem é bem diferente da alpina, mas também deslumbrante. As florestas de pinheiros parecem ter saído do  livro o Senhor dos Anéis. Você fica esperando um elfo saltar por trás de uma árvore.  A subida de teleférico tem os mesmos atrativos. Aqui encontramos um rebanho de ovelhas pastando na montanha. O interessante é que a cadeira tem um gancho para colocar bicicletas, uma vez que no topo da montanha existem várias trilhas para a prática de mountain bike.  O lugar também tem um café/restaurante no topo da montanha com cardápio regional.  As crianças almoçaram bem e correram para uma nova descida ( sem freio!)

Eles também funcionam o ano inteiro com atrações e preços especiais para os meses de inverno.  Estávamos na Basiléia (Suiça) e chegamos lá em 1 hora. Fica perto da cidade de Freiburg (Alemanha) e do parque de diversão Europapark ( que vou descrever em outro post). Este site pode também ser consultado em inglês ou francês.

Hasenhorn-Sessellift
Seilbahngesellschaft Todtnau GmbH
D-79674 Todtnau

Youhoo! – Balneário Camboriú (SC)

Dentro do  Parque Unipraias, que mantém o teleférico em Balneário Camboriú, está o  trenó de montanha Youhoo!. O grande diferencial é que aqui você usufrui das emoções deste passeio aproveitando o lindo visual da Mata Atlântica com vista para o mar. O trenó oferece 710 metros de descida a uma velocidade que pode chegar a 50 quilômetros por hora.  Os trilhos e carrinhos foram trazidos da Alemanha, portanto o sistema é o mesmo que já descrevi acima. Cada trenó comporta até duas pessoas.

Os visitantes sobem pelo bondinho do Unipraias até a Estação Mata Atlântica e de lá, do alto do morro, podem comprar o ingresso para o trenó. O local oferece ainda dois percursos de arvorismo e trilhas de caminhadas  ecológicas.

O parque, que já funciona há 12 anos tem 85 mil metros quadrados e conta com  três estações interligadas por 47 bondinhos aéreos (cada um tem capacidade para até seis pessoas). Os bondinhos ligam as praias Central e de Laranjeiras através da Estação Mata Atlântica, com 240m de altitude.

O Balneário Camboriú fica ao norte de Florianópolis e é também ponto de estadia para que quer conhecer o parque Beto Carreiro. Perto da cidade fica também os balneários Bombinhas e Itapema, que tive a oportunidade de conhecer com minha filhota quando morávamos no sul (assunto de outro post).

Parque Unipraias (Avenida Atlântica, 6006 – Barra Sul/Balneário Camboriú

Alpenpark – Canela (RS)

O parque é um complexo de entretenimento.  Olhando o site dá vontade de ir pra lá agora! Eles oferecem tirolesa, arvorismo, rapel, muro de escalada, bungee trampolim, cinema 4D entre outras atrações.

O trenó tem uma percursos de 900 metros, e foi o primeiro do gênero a ser instalado no Brasil. Os carrinhos e a pista também foram trazido de fora e funcionam da mesma forma. O condutor dosa a velocidade da descida de acordo com a sua vontade. São 37 trenós disponíveis que geram um passeio inesquecível, de aproximadamente cinco minutos em uma belíssima paisagem. Crianças acima de 90 cm podem participar da atividade, acompanhadas de um adulto.

Rua São João, 901
Canela RS
Rio Grande do Sul, Rio Grande do Sul 956780-000
Brasil

1 comentário

Arquivado em Dicas de Viagem, Europa, Sul

Fernando de Noronha – Passeios e Atrações


Noronha é considerada patrimônio natural do Brasil. Os visitantes do  arquipélago tem a possibilidade de observar e ficar muito perto de  golfinhos, tartarugas marinhas, peixes e aves marinhas, em meio à uma paissagem exuberante. É um passeio para quem ama o oceano e a natureza e se sente à vontade em interagir com a fauna local. Hoje, a infra-estrutura da ilha está muito mais desenvolvida – com hotéis, pousadas e restaurantes charmosos –  mas o grande luxo e atração desta viagem é o contato com a natureza.

Além disso, a visita é uma ótima oportunidade para despertar a consciência ambiental de adultos e crianças. A área de preservação ambiental tem normas rígidas, com o objetivo de preservar o frágil equilíbrio do ecossistema da ilha. Desta forma, desde os funcionários das pousadas, guias credenciados, fiscais do Ibama até os moradores da ilha são preparados para fornecer aos turistas explicações sobre a fauna e flora local e os cuidados a serem tomados para preservá-la. Você vai sentir parte de um documentário do Discovery Channel. Sem exageros!

Mas, é bom preparar as crianças para este contato íntimo com a natureza, para que elas não se assustem o tempo todo que um animal chegar perto. Oriente as crianças para observar mas sem tocar nos animais, por uma questão de segurança de ambos. Isto vale para as trilhas e também para os mergulhos. Uma moréia não vai fazer nada se ninguém resolver cutucá-la na sua toca.

Você já foi apresentado a uma Mabuia?  Trata-se de um é um réptil simpático, curioso e aparentemente sempre faminto, endêmico da ilha. Elas estão por toda a parte, em busca de comida, portanto mantenha suas bolsas e mochilas sempre fechadas para não ter surpresas. E o Teju? Este lagarto foi trazido para a ilha pelos militares e causou um grande desequilíbrio ecológico (hoje as aves só colocam ovos nas ilhas secundárias para evitar o réptil), provavelmente vocês vão avistá-lo em alguma trilha.

Palestras no Tamar – Para obter informações sobre a fauna e flora da ilha não deixe de assistir as palestras que acontecem no Centro de Visitantes do Projeto Tamar todos os dias  a partir das 20h. Lá as crianças poderão entender melhor não só sobre as tartarugas, mas também conhecer os detalhes sobre os golfinhos que freqüentam a ilha, a história da ilha, etc. O local é um ponto de encontro todas as noites e lá você também poderá agendar passeios com os guias credenciados que levam os turistas pelas trilhas que só podem ser feitas com acompanhantes.

Praia do Atalaia   – Quem não gostaria de mergulhar num aquário natural com menos de um metro de profundidade? A Praia do Atalaia é uma das principais atrações da ilha. O acesso á praia é controlado. Somente seis grupos de até 20 pessoas por dia podem visitar o local de acordo com o horário da maré. O agendamento é feito pelas operadoras de turismo ou com a ajuda da recepcionista da sua pousada. Marque este passeio logo que você chegar na ilha, para não ter a decepção de tentar muito em cima da hora e não conseguir vaga.

Dois fiscais organizam a descida dos grupos a partir do início da trilha, na Vila do Trinta. Todos os grupos são conduzidos por um guia – e cada um acompanha, no máximo, seis pessoas. O nosso guia, Chico Bala foi ótimo. Fotógrafo com equipamento subaquático profissional, ele tirou fotos ótimas do nosso grupo enquanto mergulhávamos.

No ponto de encontro da trilha tem um quiosque onde você pode alugar equipamento de mergulho e comprar câmeras subaquáticas descartáveis. Compre! Pois em poucos lugares você vai ter a oportunidade de fazer fotos tão incríveis debaixo d’água. Alugue coletes salva-vidas para as crianças. Mesmo que elas saibam nadar bem, eles são indicados para auxiliá-las na flutuação. Durante o mergulho, os fiscais orientam para que ninguém pise no chão para não danificar os corais.

São duas opções de passeios: a trilha curta tem 1.800 metros de caminhada (ida e volta). Indicada para crianças, a trilha é bem tranqüila. Na caminhada longa, percorrem-se 3.800 metros, de quatro a cinco horas, acrescentando ao trajeto da trilha curta paradas na Piscina da Pontinha e na Praia Caieira. O passeio é maravilhoso. Fiz sem a minha filha na outra vez que estive na ilha. È  indicado para crianças maiores e esportivas e, lembre-se de usar aqueles sapatos ou sandálias que falei no outro post, pois em muitos momentos vocês vão andar sobre pedras.

Chegando na praia do Atalaia, você vai mergulhar em uma piscina natural que na verdade funciona como um berçário para os peixes e espécies da região. São  três tipos de corais 27 espécies ornamentais de peixes, quatro de esponjas, quatro de moréias, e filhotes de tubarão-limão. Sim, filhotes de tubarões são comuns no local e não há problema algum. Mergulhe! Nunca houve acidentes no local. Apenas olhe, observe, fotografe e aponte, mas não toque em nada. Não só para não danificar os corais, mas também para garantir sua segurança. É mágico!

OBS: as fotos são todas do nosso passeio ! Inclusive a do Tubarão. Estes somos nós debaixo d’água.

Passeio de barco ( 90% de chance de avistar golfinhos!) – Nós viemos aqui para conversar ou para ver golfinhos? Desde criança que eu sonho com o meu Flipper, portanto quando vou a Noronha minha meta é clara!

Saiba desde já que a espécie  que freqüenta a ilha é o golfinho rotador. Espécie de hábitos noturnos, eles chegam às centenas todos os dias bem cedo para descansar na baía dos golfinhos ( ao lado da baia do Sancho), que também é utilizada para as mães cuidarem dos filhotes e para a reprodução. O fenômeno é raro, só acontece em outra baía semelhante no Havai, por isso o local é interditado para mergulho e vistas de barcos de turistas.

Os golfinhos que são vistos seguindo os barcos de turistas ao redor da ilha são machos que tem a função de desviar os barcos da entrada da baia. O serviço é feito direitinho e os turistas ficam encantados. Os barcos com os turistas saem do Porto Santo Antônio, e percorrem o  Mar de Dentro até a extremidade da ilha –  Ponta da Sapata. Na volta há uma parada na Baía do Sancho, quando vocês poderão praticar um pouco de snorkel. Durante mais ou menos três horas, você  vai ter uma visão privilegiada da ilha e passar por locais onde só é possível visualizar de barco, como o mapa do Brasil que é formado em uma fenda na rocha na ponta da sapata e a caverna que faz um barulho semelhante a um rugido de leão toda vez que o mar entra na fenda.

O ponto alto acontece quando os golfinhos passam a seguir o barco. As chances de isso acontecer são imensas. Não conheço ninguém que fez o passeio e não avistou golfinhos. Caso isso venha acontecer justamente com você, simplesmente repita o passeio, pois no outro dia eles vão aparecer. Embora a vontade seja de gritar, contenha-se. Se vocês conseguirem observar o espetáculo em silêncio maiores serão as chances deles ficarem por perto. Nos primórdios do turismo na ilha, era possível cair no mar para nadar entre eles, mas isto é terminantemente proibido hoje me dia. Quem for avistado mergulhando no mar é multado. Existem fiscais em diversos pontos da ilha com binóculos que se encarregarão de dar o flagrante. Uma dica: converse com o seu pediatra sobre remedios de enjoo que podem ser utilizados para passeios de barco.  Até mesmo os adultos menos acostumados podem precisar.


Museu dos Tubarões
– Perto do Porto você deve visitar  este museu, onde as crianças e adultos  podem aprender mais sobre os diferentes tipos de tubarão em painéis ilustrados e admirar várias mandíbulas e esqueletos que dão uma boa idéia do tamanho dos animais.  Não deixe de provar o bolinho de tubalhau, com gosto semelhante ao de bacalhau, feito com a carne do peixe salgada.  No jardim atrás do museu, esculturas divertidas que remetem ao trono de netuno, rabos de baleias e arcadas de tubarões rendem boas fotos.  Além disso, o local funciona como mirante para observar o famoso Buraco da Raquel, uma rocha com uma fenda onde, como conta a lenda, se escondia uma filha de um militar durante crises depressivas.

Na parte de trás do museu fica a Capelinha de São Pedro e as ruínas do Forte de Santo Antônio, ali, durante a maré baixa é possível avistar tubarões em uma enseada localizada atrás da capela. Vale a pena ir lá cedo para ver os animais, mesmo que  de longe.

Forte dos Remédios – Um bom local para se visitar a tarde. O forte está em ruínas, mas algumas torres e canhões estão preservados. Hoje em dia, este também é um lugar de observação para os biólogos do projeto do golfinho rotador, que geralmente estão disponíveis para dar informação aos visitantes sobre os golfinhos. A vista, como sempre é deslumbrante. Atenção! Alta concentração de mabuias.

Forte (Mirante) do Boldró – este é um ponto de encontro clássico para admirar o por do sol.  O local tem um bar com musica ao vivo, mesas e tendas para atender os visitantes.  A vista é aquela clássica de Noronha, com o morro do pico à direita e os dois irmãos à esquerda. Em determinadas épocas do ano, é possível ver o sol se por entre os dois morros. Mas a foto e visual que todo turista quer é o do sol se pondo diretamente no mar.  É possível, mas o mais comum é que na hora H apareça uma nuvem ou uma ligeira névoa e o sol se ponha atrás das nuvens. Os locais brincam dizendo que o fenômeno se chama Eclipse Nuvial.

Trilha dos Golfinhos – esta trilha não precisa de guia. O local é bem sinalizado e, ao longo do caminho, existem placas explicativas sobre a flora e a fauna da região. Ao final, no  mirante da Baía dos Golfinhos, você vai encontrar os biólogos do projeto do golfinho rotador, que podem dar explicações sobre o trabalho que eles desenvolvem na ilha. Eles também emprestam binóculos para observar os grupos chegando na área protegida. Mas, uma ressalva, os golfinhos entram na baia bem cedo, por volta das 5 da manhã. Se você chegar lá durante o dia você vai observá-los, mas bem de longe, pois o posto de observação é alto. A imagem pode ser bem abstrata para as crianças. Sinceramente, coloquei isso na balança e não levei a minha filha lá nesta vez.

Por outro lado, vale apena fazer a trilha na outra direção para avistar a  Baía do Sancho e a Baía dos Porcos do alto. É aquela foto clássica que todo mundo tem quando vai visitar a ilha. O visual é de tirar o fôlego e a trilha é bem tranquila para ir com crianças. Leve água, chapéu e aproveite. No final da trilha há as ruínas do Forte São João Batista construído em 1737, com uma gameleira ( árvore típica da ilha) que tem uma sombra incrível. Um bom local para um pequeno lanche, mas não esqueça de recolher todo o seu lixo.

Cavalgadas – Existe algumas opções para passeios a cavalo em Noronha. Se os seus filhos estão habituados  a cavalgar, esta pode ser uma maneira bem interessante de conhecer a ilha. Conheço dois passeios que são oferecidos: pelas praias (percorrendo as praias do mar de dentro – Boldró, Bode e Cacimba do Padre) e Capim- Açu ( esta é especial, mas bem difícil. O percurso pode ser também feito a pé, mas é indicado para quem está acostumado com trilhas longas, além de terrenos acidentado). Se você pretende fazer este tipo de passeio, lembre-se de colocar roupas adequadas na bagagem.  Informe-se na pousada sobre guias e preços.

Mergulho de snorkel com guia – Eu e minha família temos o hábito de mergulharcom snorkel e já tínhamos visitado a ilha outras vezes. Mas peguei esta dica com uma amiga que contratou um guia para levá-la aos melhores pontos de mergulho com snorkel. Pode ser uma boa opção para quem está praticando o esporte pela primeira vez. Ela indica o Emerson Nilson. Tel.:+55 81 9656-8142. O email dele é emerson3.2@hotmail.com.

Aquasub ou Planasub – esporte inventado na ilha, em 1997. Também conhecido como  “mergulho a reboque”,  é feito com o uso de máscara, snorkel e prancha de acrílico. O turista é rebocado por barco ou lancha sobre áreas de concentração de vida marinha e naufrágios. É muito legal. Eu fiz nas outras vezes que estive na ilha, mas confesso que fiquei insegura em fazer com a Clarice. Embora ela seja bastante esportiva, fiquei com medo de ela não ter força/firmeza suficiente nos braços para ser puxada por uma lancha.

Mergulho com cilindro (batismo)- existe muita controversia sobre qual é a idade recomendada para uma criança fazer mergulho com cilindro. Conversei com o pediatra da minha filha, que não fez nenhuma restrição ( ela estava com 9 anos). O problema é que minha filha teve uma sinusite duas semanas antes da viagem ( até levei antibiótico para a ilha). Assim, abrimos mão do mergulho com clindro, que ficará para uma próxima oportunidade.  Mas, já fiz o batismo lá em Noronha e foi sensacional.  No batismo, o instrutor vai ao seu lado o tempo todo e controla os equipamento. Você só tem que aproveitar a experiência. Fui com a operadora Noronha Divers . Na ocasião tinham duas familias no barco e as crianças mergulharam sem problemas. São grandes as chances de ver tubarões.

2 Comentários

Arquivado em Nordeste, Praia