Arquivo da tag: zoo

Discovery Cove- Uma pausa revigorante

Guardei para o último posto sobre Orlando, o que para mim foi o melhor momento da viagem . Desde criancinha eu tinha o sonho de ter um golfinho. Queria o meu Flipper, para nadar, brincar e viver mil aventuras. Como não sou bióloga marinha nem treinadora de mamíferos marinhos, tive de esperar pela realização deste sonho durante anos. Por isso, desta vez decidi que iria fazer a interação com golfinhos do Discovery Cove mesmo estando em Orlando no inverno.  Foi sensacional!

O maior receio era de estar muito frio ou chovendo no dia marcado. Por isso, lá vai a primeira dica. O parque te dá a chance de remarcar o passeio por questões climáticas, por isso marque sua ida em uma dia no meio da viagem para que você tenha outra opção de data caso chova muito.

Compramos os ingressos que dão direito a outros parques do Grupo ( Sea World, Aquatica e Bush Gardens). Tinha planejado chegar cedo no parque, fazer a interação com os golfinhos, almoçar e partir para o Sea World ou Aquatica para aproveitar o resto do dia.  Não foi o que aconteceu! O parque é tão maravilhoso e relaxante, que passamos o dia inteiro nele e saímos no último minuto.

O sistema é all-inclusive. Pelo preço do ingresso, você terá direito a café da manhã, almoço, lanches e bebidas o dia inteiro ( inclusive alcoólicas), aluguel de roupa de mergulho, snorkel, armários para guardar pertences, etc. Você só vai gastar dinheiro com lembrancinhas , fotos e vídeo do momento que estiver com os golfinhos. Chegue cedo, não só para aproveitar as delícias do parque como também para marcar sua interação com os golfinhos no horário que for mais conveniente.

Ao chegar, os convidados fazem um check-in como se estivessem chegando a um hotel, onde você ganhará credenciais com foto, mapa do parque e instruções gerais sobre sua estadia. Tivemos muita sorte. O dia de inverno estava ensolarado e com temperatura super agradável, mesmo assim todos usamos roupas de neoprene para garantir mais conforto durante os mergulhos.

A organização do parque é impecável, após toamr o seu café da manhã em um Buffet, você é direcionado  para os vestiários, onde são emprestadas toalhas, roupas de mergulho, mascaras e snorkel. Tudo sem estresse, sem filas. O parque tem um número limitado de visitantes por dia para garantir este conforto. Pessoas com necessidades especiais são bem vindas, pois eles oferecem cadeiras de rodas especiais para praia. É preciso apenas avisar no momento da reserva.

Seguimos para a Stingray Lagoon  e o Tropical Reef(lagoa das arraias e barreira de Corais tropicais ) para um mergulho de snorkel. A lagoa é repleta ( repleta !!!!) de peixes tropicais e arraias de varias espécies. Incrível. Mesmo aqueles que estão acostumados com o mergulho ficam fascinados com a diversidade e quantidade de peixes. As arraias são um capítulo a parte, pois são de todos tamanhos e super dóceis. Não há como resistir a um carinho. Todas com o ferrão retirado para não haver problemas. As crianças de todas as idades podem participar. Não há perigo algum. Acredite! Se jogue na água sem medo!

Não se surpreenda se ao final desta lagoa você der de cara com um tubarão ou uma barracuda. Eles estão em outro tanque, separados por um grosso vidro, mas a sensação é que eles estão nadando bem ao seu lado.

Enfim, para os que amam vida marinha, esta é uma oportunidade de estar ao lado de muitos peixes e arraias sem esforço algum. Uma aula de biologia marinha para toda família. Esqueci de falar que no local onde as roupas de mergulho são entregues, eles também emprestam filtro solar e tábuas de peixes. Um pequeno cartaz impermeável que você pode levar para o mergulho para identificar as espécies que encontrar. Relax total! Repetimos o mergulho algumas vezes, entre uma descansada na praia, um drink ou um sorvete.

Você acha que já entendeu por que passamos o dia inteiro por lá? Calma! Ainda tem mais. O parque conta ainda com um rio de água doce levemente aquecida que leva o visitante ao um passeio por dentro de um viveiro tropical de aves. No caminho, cachoeiras, cavernas, lagoas e uma leve correnteza, que te levará pelo leito do rio sem esforço. Aqui é fácil aplicar a máxima das crianças e repetir o passeio de novo..de novo…de novo. Perdi a conta.

Entre um mergulho e outro, chegou a hora da atração mais esperada: a interação com os golfinhos. Somos levados para um quiosque, onde uma treinadora/bióloga passa instruções gerias e informações sobre os mamíferos. Somos então levados em grupo de 7 pessoas para a lagoa, onde acontecerá o grande encontro. Saiba que somente crianças a partir de 8 anos podem participar da interação. Um fotógrafo e um câmera registram tudo. Você terá de pagar a parte por este registro, mas ao final você levará uma bela lembrança com fotos também tiradas por outros profissionais que ficam espalhados pelo parque.

Só de estar em pé nesta lagoa onde os golfinhos estão já nadando já me emociona. Queria tanto este momento que entrei em uma espécie de frenesi. Confesso! Mas, foi tudo que eu imaginava. A interação dura uns 40 min. Recebemos explicações sobre os animais, hábitos alimentares, anatomia, etc. temos a oportunidade de acariciarmos seu dorso, calda, damos beijinho  e participarmos de um show particular, onde eles fazem acrobacias respondendo aos nosso comando que acabamos de aprender. As crianças adoram. O ponto alto é quando somos convidados para nadar com um golfinho. Acredito que este nado durou uns poucos 30s. Fica um gostinho de quero mais. Neste momento queria ficar indo de lá para cá ininterruptamente. Por que não foi possível?? Afinal eu , e toda a torcida do Flamengo, queremos a mesma coisa. Enfim, parece pouco, mas para mim foi mágico.

Foi um dia magnífico! Funcionou como um  pausa refrescante e relax para a correria dos outros parques. O Discovery Cove é um verdadeiro Oasis, e proporciona para toda a família um dia perfeito, daqueles que você lembrará para o resto da vida. Para mim, este foi o grande momento da viagem.

1 comentário

Arquivado em Dicas de Viagem, Dicas gerais, EUA, orlando

Sea World – O reino da baleia Shamu

Os apaixonados pela vida marinha tem um lugar especial em Orlando. O Sea World foi inaugurado em 1973 com o objetivo de oferecer aos visitantes um contato próximo com os animais que habitam os oceanos e, ao mesmo tempo, informar sobre a preservação destas espécies e seus habitats.  Esta é uma visita mais relaxada, pois você vai apreciar uma serie de exibições destes animais e observá-los de perto nos diversos setores  do parque. Mas, os viciados em adrenalina, também terão o que fazer, pois aqui se encontram duas montanhas-russas imperdíveis e uma aventura molhada na cidade perdida de Atlândida.

Para acompanhar os shows, fique atento aos horários. As atrações que envolvem animais são realizadas apenas duas vezes ao dia, portanto programe seu trajeto de acordo com os seus interesses. A programação é distribuída na entrada do parque.

O Blue Horizon é um belo show com golfinhos, baleias semi-orcas e pássaros exóticos. Os treinadores se apresentam de forma teatral e acrobática. É muito bonito. Para observar os golfinhos de perto, siga para o Dolphin Cove, onde você poderá alimentá-los (por um preço extra) e observá-los em um imenso tanque.  O local tem ainda um ponto de observação subterrâneo para acompanhar os golfinhos através do vidro. No mesmo setor, mamãe e filhotes podem ser vistos de perto no Dolphin Nursery. As crianças adoram, até por que no local treinadores e biólogos ficam à disposição pra dar informações.

A mais nova atração do parque é a montanha –russa  Manta.  Criada para simular o nado de uma arraia manta, o inusitado é que os passageiros são colocados em um carrinho deitados em baixo das nadadeiras do animal. É muito esquisito e ao mesmo tempo bom.  Vale a pena experimentar. Para ambientar o local Manta, foi criado um enorme aquário com Arraias de todas as espécies,  que pode ser observado enquanto se espera na fila.

A outra montanha-russa do parque é a Kraken. É a mais alta, mais longa e mais rápida de orlando, definitivamente para iniciados.  O carrinho não tem piso e os passageiros ficam sentados com os pés soltos. UAU!  Só para lembrar, minha filha e amiga estão com 11 anos e já tem altura para ir em todas estas atrações. Elas não perderam nenhuma oportunidade e se divertiram muito. Cabe os pais analisarem o perfil dos seus filhos e decidirem se eles podem ir.

Ao lado da Kraken fica a Journey to Atlantis, uma montanha russa molhada, onde percorremos de barco um rio com algumas quedas, reservando maior delas para o final. É para encharcar! Roupas extras são recomendadas, caso contrário, você se verá em seguida comprando calças, shorts e camisetas nas lojas de souvenirs .

Voltando às atrações com animais marinhos, outro show concorrido é o Clyde and Seamore Take Pirate Island, onde o treinador caracterizado de pirata se envolve em muitas brincadeiras com o seu fiel companheiro Clyde, um leão marinho. Durante o show, são apresentados outros animais, como focas, lontras, etc.. Para observar estes animais de perto, o parque criou uma área chamada Pacif Point Preserve.  Existe ainda uma área para a observação de pinguins, Penguin Encounter, peixe-boi,  Manatee Rescue, e tartarugas marinhas, Turtle Point.

Os Tubarões merecem destaque em um enorme aquário, que pode ser observado em um túnel subterrâneo que te deixará bem perto destas criaturas como também de barracudas, enguias e peixes diversos. Para observá-los com calma, almoçamos no Shark Underwater Grill. Este restaurante fica em uma área subterrânea, onde todas as mesas são voltadas para a parede de vidro do aquário. A comida é muito boa e o carro forte são frutos do mar. É necessário fazer reserva. Fizemos a nossa logo que entramos no parque no Guest Center localizado logo após as bilheterias.

Os animais do Artico ganharam uma área reservada chamada Wild Artic. A atração começa com a simulação de um voo de helicóptero, que o levará há uma base cientifica onde você poderá conhecer vários animais que habitam o ártico, como baleias belugas e o urso polar.

Pra finalizar, a principal atração do parque: as grandes, famosas e majestosas baleias orcas. O show das baleias, One Ocean,  foi reformulado depois do acidente. Quando estive por lá em 2008 tive a oportunidade de ver o show anterior , Believe, que mostrava varias interações dos treinadores com as baleias dentro do tanque e  até  tinha um momento que uma criança era chamada para fazer carinho e dar peixe para a Shamu. Coisas impensáveis hoje em dia.  Não posso negar que o show perdeu muito em impacto, mas ainda é uma atração impressionante, por que as orcas são animais incríveis e belos.  Fique atento aos horários dos shows e, se quiser um bom lugar, chegue pelo menos 30 min antes do começo. Os primeiros degraus são chamados de WET Zone. Quem senta lá está disposto a levar banhos das baleias. Não tenha dúvidas que estas pessoas saem de lá encharcadas. Se esta for a sua intenção, jogue-se!

Perto desta atração, os menores podem se divertir no Shamu’s Happy Harbour , que oferece um playground , montanha russa e brinquedos mecânicos para crianças menores, mas que diverte igualmente os pré-adolescentes e adultos.

O dia termina e todos  saímos felizes por termos chegado tão perto destes animais fascinantes. Claro que sempre tem um conflito interno quando pensamos que eles não mereciam estar em cativeiro. Sempre penso nisso, quando vou aos aquários e zoológicos! Mas, ao mesmo tempo, sabemos que aqui eles estão sendo bem cuidados e que o grupo que é responsável pelo parque desenvolve varias ações de preservação e pesquisa da vida marinha. Vale a pena conhecer.

Deixe um comentário

Arquivado em Dicas de Viagem, Dicas gerais, EUA, orlando

Onde os bichos se encontram

O Animal Kingdom foi o último parque do complexo Disney de Orlando  a ser inaugurado.  A ideia era criar um ambiente onde os visitantes pudessem se sentir na natureza, visitando continentes famosos por sua fauna e flora ( Africa e Asia), além de encontrar os personagens Disney mais famosos do reino animal. O parque tem uma área imensa para abrigar  mais de 1.700 animais, incluindo mais de 250 espécies diferentes.

Eu adoro este parque. Ele tem áreas muito bonitas cercadas por plantas e lagos ( na verdade é um rio, o Discovery River), o que torna o passeio bem agradável e tranquilo. Os pequenos vão adorar a possibilidade de ver tantos animais diferentes. Logo na entrada ( Oasis),  eles colocaram uma serie de viveiros com repteis, pássaros e animais de pequeno porte que já dão uma ideia do que está por vir.  

Se você pretende fazer uso do fast pass ( como falei nos posts anteriores), siga diretamente para a Africa. O Kilimanjaro Safaris é uma das atrações mais concorridas. Trata-se de um safari em grandes jipes, onde você poderá ver animais existentes nas savanas Africanas. Elefantes, leões, antílopes, jacarés, rinocerontes, girafas, búfalos, etc, etc. As filas são enormes. 

Ao sair dos carros, você pode seguir uma trilha chamada Pangani Forest Exploration onde é possível observar famílias de gorilas, pássaros e hipopótamos através de um vidro. Se desejar fazer um caminha mais curto, saia diretamente para a vila Africana montada no lado de fora da atração, onde você terá pequenos bares, lojas e restaurantes. O Tusker House Restaurant  é uma das boas opções do parque para um almoço farto e com calma. É preciso fazer reserva.  

Os apaixonados por aventura e também por estes animais podem fazer o Wild Africa Trek. Por um preço extra, um grupo restrito de visitantes pode ter a experiência de fazer uma trilha pela área reservada para o safari e chegar bem perto de determinados animais, acompanhado de guias e biólogos que dão explicações. Como os grupos são pequenos, é necessário fazer reserva com antecedência. Vejas as informações no site.

Passando para a Ásia, aqui temos uma das melhores atrações do parque,  onde eu recomendo você tirar o Fast Pass para economizar tempo de fila.  Estou falando da montanha russa Expedition Everest, mais conhecida pelos íntimos como montanha do Yeti. Para chegar até o carrinho da montanha russa, você passa por uma vila do Nepal, rica em detalhes e referências ao abominável homem das neves. O brinquedo simula uma expedição de trem pelo Monte Everest, onde em determinados momento os passageiros são atacados pela criatura que destruiu os trilhos e…É muito divertido e radical. Crianças a partir de 112 cm já podem aproveitar.

Ali bem perto tem outra atração radical para quem gosta de se molhar muito! O Kali River Rapids é uma daquelas grandes boias , onde a brincadeira e descer a corredeira de um rio com cachoeiras e água por todo o lado. Você pode usar até uma capa de chuva, mas sairá molhado mesmo assim. Menos molhado, mas molhado em alguma parte do corpo.  Uma dica preciosa, se você quer entrar na brincadeira, tire pelo menos os sapatos, por que ninguém merece ficar andando com sapatos e pés molhados, concorda?

Nesta parte do parque, vale ainda passar pela trilha  Maharajah Jungle. Aqui estão belos animais originários das florestas asiáticas, como morcegos enormes e tigres majestosos.  SE você gosta de cozinha asiática, o restaurante Yak & Yeti  é a opção para um almoço variado. É necessário fazer reserva.

Os pequenos vão gostar de visitar também  o Rafiki’s Planet Watch. Para se chegar a esta mini fazenda é preciso tomar um trem que já é uma atração à parte. Trata-se de um lugar para as crianças interagirem com animais  domésticos e de fazenda, como bodes, cabras, vacas, coelhos, pôneis, etc. a grande atração é o Afection Section, dedicados aos filhotes mais fofos do mundo. Esta área do parque é muito interessante e educativa  para as crianças menores. Confesso que nesta minha viagem recente, nem passamos por lá. Mas, quando estivemos no parque da outra vez que a Clarice era mais nova, ela gostou muito.

A parte Central  do Parque fica em uma ilha situada no grande rio que atravessa o parque, a Discovery Island.  Aqui está o símbolo do Animal Kingdom , a árvore da vida, um grande baobá artificial, que tem o tronco todo esculpido com figuras de animais. Belíssimo! Em volta desta árvore existe uma trilha onde você poderá observar tartarugas de galápagos, lêmures, aves raras entre outros bichos. Mas é abaixo da árvore que está um dos melhores filmes 3-D de todos os parques. Sim,  o filme é passado em um teatro situado nas raízes da árvore, afinal os anfitriões são os personagens do filme da Pixar “Vida de Inseto”. É genial, não vou contar mais para não estragar a surpresa, mas a formiga Flick nos convida para uma apresentação onde saberemos como é difícil ser um inseto. Imperdível!

Os dinossauros são a atração principal na Dinoland, mas antes de chegar lá, você vai passar por um teatro onde é encenada em alguns horários o musical Procurando Nemo. Não se assuste com a fila. O teatro é grande e cabem todos. Fique só atento aos horários para não perder o show, que é muito bonito.  

No Dinoland não deixe de ir  na atração Dinosaur ( vale usar o fast pass). Trata-se de uma emocionante aventura, onde você entra em uma máquina do tempo para  encontrar Dinossauros em seu habitat natural. Mas, prepara o coração, pois alguns sustos podem pegar os menores mais desprevenidos.  

As demais atrações desta área são para os pequenos, mas os não tão pequenos assim se divertem muito. A minha filha e amiguinha foram mais de três vezes seguidas na montanha russa Primeval Whril sozinhas. Até por que nenhum adulto tem estômago (literalmente) para ficar tantas vezes rodando em um carrinho sem parar. mas, o que eu acho muto divertido é o The Boneyard, que é um parque de areia gigante, onde as crianças podem pegar baldes e pincéis como se fossem arqeuólogos e começar a procurar ossos de dinossauros enterrados. E não é que elas encontram?

Para um almoço rápido, o Restaurantosaurus é uma boa opção. Hamburgeres, sanduíches e saladas feitos na hora acompanhandos de batas fritas decliciosas.

Nosso dia no Anamal Kingdom foi encerrado com uma passada no camp Minnie- Mickey para assistirmos o festival do Rei Leão. O show tem música , dança a atrações circences com o pano de fundo da história do pequeno leão. O melhor é a música composta por Sir Elton John e cantada por maravilhosos cantores ao vivo. Saio de lá cantarolando hakuna matata!!!!!  Ao sairmos do show, aproveitamos para tirar as famosas fotos com os personagens clássicos da Disney. Nesta parte do parque são quatro pontos de aparição de personagens para  foto e, adivinha quem estava lá? Mickey, Minnie e Cia. Todos com roupas de safari, é claro.

Este é o parque que fecha mais cedo e também não tem show de fogos no final, para não estressar os animais. Por isso, você vai sair em um horário perfeito para fazer um belo jantar com calma. Já que estávamos por perto, resolvemos conhecer um dos restaurantes do Animal Kingdom Lodge, hotel temático  que fica próximo ao parque. São várias opções para todos os bolsos. Optamos pelo Buma Flavors of Africa, buffet de comida africana, onde você vai encontrar até feijão preto. Os pratos são deliciosos e variados. Tem opções de menu infantil, mas o que eu achei melhor, foi que tinha muitas variedades de legumes, frutas e grelhados que acabam agradando a todos. A estação de sobremesas é um capítulo a parte. Não passe incognito por ela. O salão é grande, mas é  bom reservar. Neste dia, resolvemos ir na última hora e quase não conseguimos mesa. Minha cara de desespero e a simpatia da atendente Kimi, uma sul africana que entendeu meu desespero para alimentar quatro adultos e duas crianças com muita  fome, foi o que nos garantiu uma mesa.

Deixe um comentário

Arquivado em Dicas de Viagem, EUA, orlando

Um giro rápido por Atlanta

Este ano começou muito bem, pois tirei longas e merecidas férias. O destino principal foi Orlando ( aguardem os posts que virão por aí), mas fizemos uma parada estratégica por Atlanta pois queríamos conhecer o maior Aquário do Mundo, o Georgia Aquarium.  Pegamos um voo pela Delta Airlines, que sempre faz uma escala em Atlanta, e aproveitamos para ficar 2 dias na cidade para conhecermos as atrações. Não é a primeira vez que fazemos isso. Você precisa pagar um pequeno adicional na passagem para fazer esta parada, mas vale a pena quando você quer fazer um giro rápido pela cidade.

As principais atrações turísticas da cidade ficam bem perto uma da outra, o que facilitou o nosso passeio. Escolhemos um Hotel perto deste centro turístico e acabamos fazendo tudo a pé. Ficamos no Hyatt Regency Atlanta, mas a região é cheia de hotéis.

A cidade dispõe CityPass que acaba sendo a opção mais econômica para aqueles que pretendem conhecer mais de três atrações turísticas. O passe pode ser comprado na bilheteria de qualquer uma das atrações incluídas no programa ou pela internet.

A visita começou pelo Centennial Olympic Park, inaugurado na ocasião dos Jogos Olímpicos de 1996, foi elaborado para ser uma área de lazer para os moradores da cidade. O parque  tem aproximadamente 85 mil metros quadrados e fica aberto diariamente com entrada gratuita. São vários pontos com esculturas e monumentos que remetem aos Jogos Olímpicos, como a estátua do Barão de Coubertin e um monumento em homenagem aos medalhistas com blocos de granitos com o nome de todos eles gravados. Uma boa diversão para as crianças é ficar procurando o nome dos brasileiros que ganharam medalhas naquele ano.

Mas, o ponto alto do parque é a fonte dos anéis olímpicos. Adultos e crianças se divertem com o show das águas e interagem com a fonte pulando para dentro dos anéis enquanto  as águas são ritmicamente desligadas e ligadas. O desafio é participar da brincadeira e não sair molhado. Tarefa para poucos.

O parque é um grande ponto de encontro da cidade e abriga uma vasta programação cultural e esportiva, com concertos e festivais durante todo o ano. Pegamos o parque ainda com a decoração de Natal e com um rinque de patinação aberto durante todo o dia.

Algumas das principais atrações da cidade ficam ao redor deste parque. O World of Coca-cola, o Georgia Aquarium e a sede da CNN. O refrigerante mais famoso do mundo foi criado em Atlanta, em 1886, pelo farmacêutico John Pemberton, devidamente homenageado com uma estátua localizada em uma praça batizada com seu nome, onde fica o museu e o aquário.

O World of Coca-Cola é muito interessante mesmo para quem não é devoto da bebida gasosa de fórmula secreta. O visitante vai conhecer detalhes da história do refrigerante, contada por obras de artes, propagandas, patrocínios de eventos (Jogos olímpicos)  e objetos inspirados pela marca.

Além disso, uma série de brincadeiras interativas  convida os visitantes a desvendar o segredo da fórmula da coca-cola, dentro de uma sala que representa o cofre que guarda este tesouro. O museu ainda tem um cinema 4D, uma demonstração sobre o processo de engarrafamento e uma sala onde é possível experimentar refrigerantes e bebidas regionais produzidas nos cinco continentes. Provamos várias coisas, da Inca Cola até refrigerantes africanos com misturas de frutas exóticas. Confesso que ficamos um pouco decepcionados em ver o Brasil representado  pelo Nestea Diet de Pêssego. Ficamos nos perguntando o que houve com o Guaraná Kuat???? Na saída, difícil é resistir a lojinha de souvenirs. Mas, quem está na chuva…

Deixamos para o dia seguinte o nossa atração principal. O Georgia Aquarium foi o causador desta parada, portanto mereceu uma atenção especial. O aquário é atualmente o maior do mundo, o único que tem 4 tubarões baleia em um tanque.

O local mantém além do tanque principal, com tubarões, raias mantas e grandes  peixes dos oceanos, um local reservado para animais de águas geladas ( pinguins e belugas), um show de golfinhos, filme 3D sobre o oceano, uma seção dedicada aos rios, aos mares tropicais e o Geórgia Explorer, onde onde os pequenos podem interagir com animais tocando em arraias, moluscos, tartarugas, etc. Tudo com voluntários á disposição para dar explicações sobre os animais e os habitats de cada espécie. Destaque para o local que exibe os pinguins. Você pode entrar engatinhando em um túnel de vidro para ver os animais bem de pertinho. As crianças adoram!

A visita é tão interessante e interativa que acabamos passando praticamente o dia inteiro no aquário. O passeio superou nossas expectativas. Só faltou mergulhar no tanque, o que é permitido uma vez ao dia para  felizardos dispostos a pagar US320,00 e que tem carteira de mergulho com tanque. O aquário oferece também interação com baleias belugas e programas de vistas para crianças aos bastidores na companhia de biólogos, atividade indicada para crianças que falam inglês fluente.  Ficamos sabendo no local, que há uma programação de pernoite no aquário, onde todos assistem palestras e no salão de observação do tanque principal.

O nosso giro pela cidade parou por aí. Mas existem outras atrações que devem ser bem interessantes como o Zoo de Atlanta (com um casal de Pandas), o Mudeu de História Natural de Fernbank, o High Museum of Art, visita aos bastidores da CNN além do memorial de Martin Luther King, nascido na cidade. Quem sabe em uma outra visita.

Deixe um comentário

Arquivado em Dicas de Viagem, EUA

Nova Iorque – Atrações Turísticas – Parte 2

Central Park

Toda criança, de qualquer idade, precisa ter um momento na viagem para extravasar suas energias. Principalmente em uma viagem urbana, onde grande parte das atrações são indoors: teatros, museus, lojas, etc. E como é que as crianças relaxam a mente? Brincando, é claro. E nada melhor em Nova Iorque do que este imenso playground incrustado no meio da cidade, o famoso Central Park.

São mais de 20 parquinhos com brinquedos de todos os tipos, alguns mais rústicos, outros modernos, mas todos localizados próximos á entradas do parque por questões de acesso e segurança. Nossa viagem foi no inverno, o que limitou um pouco ás visitas ao Central Park, mas também nos colocou á disposição o rinque de patinação no gelo ao ar livre.

Além disso, o parque conta com muitas  outras atrações: aluguel de barcos e bicicletas, teatro de marionetes, passeios de charrete ( sinceramente não recomendo! Muito curto e muito caro!), e a possibilidade de um ótimo espaço para um bom picnic. Veja na página oficial todos os pontos interessantes e atrações do  Parque.

Central Park Zoo

Pequeno, mas charmoso. Para as crianças ficou famoso depois do filme Madagascar. Mas, é bom avisá-las logo que dos animais do filme, elas só vão encontrar os pinguins. Mesmo assim, vale a pena, pois ele tem em exibição um belo urso polar, um panda vermelho, leões marinhos e um belo viveiro de pássaros e animais da floresta tropical. Não deixem de visitar o anexo  Tisch Children’s Zoo, onde as crianças podem interagir com animais de fazenda e Lhamas e brincar em um parquinho onde podem entrar em cascos e ovos de tartarugas gigantes, além de entrarem em uma enorme teia de aranha feita de corda. Mais interessantes para os menores, mas acaba sendo uma diversão para crianças de todas as idades.

64th street 5th ave
New York, NY 10021, Estados Unidos
(212) 439-6583

Bronx Zoo

Se você quiser ir em um Zoo com todos os animais que você tem direito. Você precisa ir mais longe até o Bronx Zoo . É simplesmente o maior zoológico do mundo, com mais de 4000 animais. Eu não consegui tempo para ir, mas vai ficar na agenda para uma próxima visita à cidade.

2300 Southern Blvd
Bronx, NY 10460

Museu de História Natural

Este é o museu que tem mais atrativos para as crianças. Principalmente de pois do filme Uma Noite no Museu.  A mostra permanente tem uma coleção enorme de ossadas e fósseis de dinossauros e todos os tipos de animais pré-históricos, além de um completo passeio pelas civilizações do passado e da  atualidade representados em seus famosos dioramas. Um dos destaques do museu é o Rose Center for Earth and Space, uma enorme esfera que abriga o planetário e outras atrações ligadas ao espaço.  O ingresso para o planetário é cobrado a parte, e as apresentações são sempre narradas por celebridades de Hollywood ( atualmente Whoopy Goldberg). Mesmo que você e as crianças não falem bem inglês, eu acho que vale muito a pena pois as imagens e efeitos são impactantes.

O Museu sempre tem Mostras especiais. No momento eles estão apresentando uma exposição sobre o cérebro humano que é muito legal. Bastante interativa.

Enfim, o museu é gigantesco. Minha sugestão é definir anteriormente quais são os pontos de interesse e visitá-los com calma. O site é super completo. Para aqueles que tem Iphone ou Ipad, eles oferecem um aplicativo grátis que te guia dentro do museu por meio do GPS e tem informações detalhadas sobre todos os itens expostos. O Museu tem rede wifi gratuita!

Há uma praça de alimentação no sub-solo, mas não é uma maravilha. Se preferir a Columbus Avenue está logo ali, cheia de opções.

Central Park West
entre Ruas 77 e 81

Moma

Adoro! É o museu mais caro de Nova Iorque, mas o meu favorito. Na minha opinião, o melhor museu de arte moderna que já visitei. O mais didático, o mais completo….É uma boa opção para as crianças, por que ele não é tão grande e você pode percorrer ter um panorama bem completo de todas as tendências do movimento modernista de forma lúdica e interessante.  Ao entrar, pegue um guia elaborado especialmente para crianças, que tem passatempos e perguntas sobre alguns quadros, o que instiga a imaginação e a curiosidade dos pequenos.

A loja do museu é uma atração a parte para quem adora objetos de design. Mas, tem também brinquedos exclusivos educativos e que exploram as habilidades artísticas das crianças. Aproveite para almoçar no café de Comida Mediterrânea  que fica dentro do Museu. Excelente e tem pratos infantis.

11 West 53rd Street (entre 5th/6th Avenues)

Metropolitan

Um clássico! Mas, como todo museu gigante, para visitá-lo com as crianças defina previamente os pontos de interesse, senão vocês  vão se cansar e ficar perdidos com tantas coisas para ver. É possível alugar um Audio Guide em diversos idiomas.

Também chamado de Met, é um dos maiores e mais importantes museus do mundo. Possui mais de 2 milhões de obras de arte que abrangem 5.000 anos de história e recebe mais de 5 milhões de visitantes por ano.

Geralmente as crianças ficam fascinadas com as obras da arte antiga (grega, romana, egípcia e assírio-babilônica) e oriental. Outros pontos que podem ser interessantes são  as secções dedicadas a instrumentos musicais, armas e indumentária.

Procure o Roof Garden (muita gente diz apenas “Roof top“), localizado na Lila Acheson Wallace Wing, de onde é possível ter uma vista única de Manhattan. Este local geralmente abriga algumas exposições especiais muito interessantes.

1000 Fifth Avenue at 82nd Street

FAO Schwarz

Ok, é uma loja, mas vamos combinar, também é uma atração turística. Mesmo que você não compre nada, não há como uma criança ir a Nova Iorque e não se esbaldar no grande Piano que a loja tem para ser tocado com os pés ( lembra do filme Quero ser grande com Tom Hanks?).

A loja tem uma linha de brinquedos própria que resgata o jeito antigo de fazer brincadeiras. Destaque para a seção de brinquedos de pelúcias, panelinhas e fogões de madeira, bonecas de neném dispostas como se estivessem na maternidade, legos, carrinhos de corrida, etc, etc, etc.

Os funcionários são treinados para garantir a experiência mágica. Se você chegar no horário de abertura da loja, será recebido por uma troca da guarda dos soldadinhos de chumbo, símbolos da loja, que depois ficarão enfileirados para saudar os primeiros clientes do dia.

Veja esta foto de um totó (ou pebolim) da Barbie que encontrei por lá.

767 5th Avenue
New York, NY 10153

1 comentário

Arquivado em Dicas de Viagem, EUA